Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

17 Fevereiro de 2020 | 15h27 - Actualizado em 18 Fevereiro de 2020 | 12h14

Líderes sindicais da CPLP fortalecem cooperação

Luanda - Líderes sindicais da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) estão a abordar, a partir desta segunda-feira, em Luanda, a cooperação internacional e criação de redes de sindicatos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Manuel Viage, Secretário Geral da UNTA-CS

Foto: Gaspar dos Santos

No seminário sobre “Normas Internacionais do Trabalho, os sindicalistas da CPLP estão a desenvolver planos de acção para implementar estratégicas e melhorar o diálogo social dentro da Comunidade.

O propósito é a capacitação dos sindicalistas para promoverem a aplicação das normas laborais e chamar atenção sobre as violações dos direitos laborais.

Inclui-se igualmente a abordagem sobre a necessidade de se respeitar as normas internacionais de trabalho e o papel dos sindicatos nesta matéria.

Em declarações à Angop, a directora do departamento de actividades para os trabalhadores da Organização Internacional do Trabalho (OIT), Maria André, considerou fundamental a promoção do diálogo social e uma gestão responsável das empresas.

Segundo a responsável, a OIT, por ser uma organização normativa, desenvolve normas internacionais que servem, por um lado, para proteger os trabalhadores e, por outro, promover empresas sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento económico de cada  país.

Disse ser importante formular estratégias para defender os direitos do trabalhador mediante as actividades de promoção, acções legais, campanhas, bem como outras actividades relacionadas.

Na ocasião, o secretário-geral da UNTA-CS, Manuel Viagem, afirmou que as instituições angolanas precisam de respeitar o que estabelece a lei, lamentando a falta de pressão das comissões sindicais.

Participam do seminário, que decorre de 17 a 19 do corrente mês, 16 líderes sindicais de Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe Guiné-Bissau.

Assuntos Angola  

Leia também