Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

28 Fevereiro de 2020 | 11h31 - Actualizado em 28 Fevereiro de 2020 | 11h31

Comandante-geral da PN reitera aposta na formação de efectivos

Menongue - O comandante-geral da Polícia Nacional, comissário Paulo de Almeida, reiterou quinta-feira a aposta na formação dos efectivos para que correspondam com as mudanças em curso no país.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Comandante-geral da PN, Paulo de Almeida

Foto: Henri Celso

O oficial apontou esse desafio momentos depois de ter sido recebido pelo governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, no cumprimento da jornada alusiva ao 44º aniversário da Polícia Nacional, que se assinala hoje (sexta-feira), cujo acto central acontece em Menongue, sede capital da província.

Esta formação, de acordo com o Comandante-geral, parte de base ao topo para que a corporação tenha bons polícias e uma melhor prestação de serviço às populações.

Segundo ele, Angola tem uma polícia republicana, com a responsabilidade de garantir a ordem e a tranquilidade pública.

"Temos uma polícia organizada, estruturada e capaz de cumprir com a missão pela qual foi criada", afirmou, tendo reconhecido que o país encontra-se num contexto difícil em função da crise económica e financeira que afecta o desenvolvimento da corporação.

Rejuvenescimento da corporação

Para o comissário-chefe, este processo decorre na normalidade, não com a dinâmica necessária, porque o enquadramento ou ingresso na polícia não é feito só com pessoas com idades mais jovens.

Referiu que grande parte dos efectivos que hoje a polícia recebe vem já com o comprimento militar obrigatório, o que impede que o rejuvenescimento desejado, mas existe a necessidade de se fazer com elementos experientes e capazes.

Combate à corrupção

O comandante-geral assumiu que a corporação continua a combater a corrupção e outras más práticas, uma vez que constantemente têm sido tomadas medidas disciplinar e criminal sobre os comportamentos negativos.

Sobre a plataforma de vigilância que está sendo coordenada pelo Ministério do Interior, depois de Luanda e Benguela, e até com níveis avançados de desenvolvimento no Huambo e na Huíla, é de ser implantado a nível das 18 províncias.

Resgate de valores na Corporação

Paulo de Almeida defendeu que os efectivos da corporação devem garantir todo um trabalho permanente para que a população se sinta segura e tranquila diante da corporação.

"Nós merecemos a confiança da população e a corporação tem estado a cumprir com o seu papel, devemos resgatar estes valores junto da população", reiterou.

A jornada do comandante-geral da polícia teve início na sede municipal do Cuito Cuanavale, com os homólogos de Portugal e da Namíbia, onde visitaram o rei Bingo Bingo e o Memorial da Batalha do Cuito Cuanavale, epopeia militar decorrida entre 1987/1988.

De acordo com o programa, o acto central será orientado pelo ministro do Interior, Eugénio Laborinho, estando previstas intervenções do governador do Cuando Cubango, Júlio Bessa, e do comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida.

Leia também
  • 21/02/2020 07:31:11

    Desconhecidos roubam AKZ nove milhões numa loja em Menongue

    Menongue - Nove milhões de Kwanzas foram roubados num estabelecimento comercial em Menongue, sede da província do Cuando Cubango, na madrugada de quinta-feira, por indivíduos desconhecidos.

  • 06/02/2020 16:47:58

    Descarga atmosférica mata irmãs no Cuando Cubango

    Menongue - Duas irmãs de 15 e 16 anos de idade, respectivamente, morreram, quarta-feira, na localidade do Fio, província do Cuando Cubango, depois de serem atingidas por uma descarga atmosférica.

  • 31/01/2020 10:55:48

    Governador quer sobas na promoção da cultura da paz

    Mavinga - O governador da província do Cuando Cubango, Júlio Bessa, defendeu, no município de Mavinga, a necessidade imperiosa da promoção e valorização da cultura da paz pelas autoridades tradicionais.