Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

01 Agosto de 2020 | 19h15 - Actualizado em 01 Agosto de 2020 | 19h14

Novo sistema de água de Ndalatando orçado em mais de USD 22 milhões

Ndalatando - Vinte e dois milhões 656 mil 856 dólares constitui o valor aplicado pelo governo na execução do projecto de construção do novo sistema de abastecimento de água potável à cidade de Ndalatando (capital do Cuanza Norte), captado a 36 quilómetros, a partir do rio Lucala, no âmbito do Programa de Investimentos Público (PIP) do Ministério de Energia e Águas.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O lançamento da pedra para a construção do equipamento decorreu, neste sábado, na vila de Lucala, sob orientação do governador da província do Cuanza Norte, Adriano Mendes de Carvalho.

O projecto, inicialmente inscrito no Programa de Investimentos Público (PIP) do Ministério de Energia e Águas para o ano 2019, está a cargo da empreiteira chinesa QINGDAO Installation Co.Ltd, e foi co-financiado pelo Banco Mundial.  

A construção do projecto do novo sistema de abastecimento de água do rio Lucala está a ser executada em dois anos e seis meses, além dos oito meses consumidos pelo empreiteiro para a concepção do projecto.   

O equipamento projectado para um caudal de água com mais de 12. 500 metros cúbicos/dia, prevê beneficiar 214 mil pessoas, dos quais 182 mil, em Ndalatando, 21.500, na vila de Lucala e 10.500 ao longo da conduta principal.

O sistema compreende a construção da captação de água com capacidade de 660 metros cúbicos/hora, conduta elevatória de água bruta, em ferro fundido DN 600 C30, numa extensão de 1. 516 metros, desde a captação de água até à Estação de Tratamento de Água (ETA).

Além da estação de tratamento de água dimensionada para 625 metros cúbicos/hora, o novo sistema inclui reservatório de água tratada com 3.500 metros cúbicos e estação elevatória com capacidade de 594 metros cúbicos/hora.

Consta ainda do projecto a construção de uma conduta elevatória de água tratada, em ferro fundido DN 500 C30, numa extensão de 33. 565 metros, desde a estação de tratamento de água até ao reservatório RT4, apoiado com 2.500 metros cúbicos, e outras condutas que irão interligar ao reservatório central existente na cidade de Ndalatando para posterior distribuição.    

Após a conclusão das obras de reforço, o novo sistema de água do rio Lucala, terá capacidade de produção de 16. 018 metros cúbicos/dia, mais 12.500 metros cúbicos/dia, em relação aos actuais 3.518 metros cúbicos produzidos diariamente pelo sistema de captação do rio Mucari.

O sistema prevê um aumento da capacidade de reserva de 12.200 metros cúbicos de água, mais 7.200 metros cúbicos, em relação aos 5.000 metros cúbicos do actual sistema do Mucari.

O actual sistema de distribuição de água de Ndalatando tem 135 quilómetros de extensão, 15.000 ligações construídas e beneficia 80 mil pessoas. O novo sistema de águas prevê beneficiar mais 134 mil pessoas, perfazendo um total de 214 mil pessoas.

No âmbito do Projecto de Desenvolvimento Institucional do Sector das Águas (PDISA-2), estão ainda previstos, em Ndalatando, a construção e reforço da capacidade do sistema do Mucari para 3.600 metros cúbicos/dia, e 15 mil ligações domiciliárias.        

Com a construção do novo sistema de água pretende-se triplicar a capacidade do actual sistema de fornecimento do líquido preciso à cidade de Ndalatando, cuja infra-estrutura se mostra incompatível com a actual demanda de consumo.

A distribuição de água potável à cidade capital da província, foi reforçada em Junho último, com a entrada em funcionamento de um novo sistema de captação instalado no Morro da Santa Isabel, arredores de Ndalatando, com capacidade de armazenar 400 metros cúbicos de água, para o reaproveitamento do remanescente da fonte da nascente daquela montanha, e duas girafas para abastecer camiões cisternas.

O mesmo reforça o abastecimento de água a cerca de 10 mil habitantes dos bairros Miradouro, Catome de Cima e Baixo, São Filipe, Sassa e Quem me Ama. A infra-estrutura junta-se aos dois instalados no rio Mucari e Monte Redondo (este inoperante).

Além desse sistema, a cidade conta ainda com vários furos artesianos recentemente abertos nos bairros Mesquita, Vieta, Miradouro e Catome de Cima, no âmbito do reforço da capacidade de distribuição de água a população.

A cidade de Ndalatando é abastecida por um sistema de água captado a 17 quilómetros a partir do rio mucari, inaugurado em 2011 e dotado de um reservatório de 500 metros cúbicos e 50 quilómetros de tubagem, mas que tem se revelado insuficiente para atender a actual demanda de consumo da população local.

O referido sistema conta ainda com mais de mil ligações domiciliares no casco urbano e mais de 100 chafarizes instalados na periferia da cidade, na sua maioria inoperantes devido à fraca capacidade do sistema.

O acto de lançamento do projecto foi presenciado pelo secretário de Estado das Águas, Lucrécio Costa, em representação do ministro de tutela, João Baptista Borges.

A cidade de Ndalatando, capital da província do Cuanza Note, é habitada por mais de 400 mil habitantes.

Leia também
  • 01/08/2020 11:35:19

    Covid-19: Violação das regras "virou moda"

    Luanda - A inobservância das medidas preventivas contra o novo coronavírus (Covid-19) por parte de cidadãos continua no país, apesar das punições que têm sido tomadas à luz do Decreto Presidencial sobre a Situação de Calamidade Pública.

  • 01/08/2020 11:08:51

    Administração de Quiluanje inicia obras

    Golungo Alto - A administração comunal de Quiluanje (município do Golungo Alto), na província do Cuanza Norte, vai ganhar, dentro de seis meses, uma sede cujo lançamento da primeira pedra para sua construção aconteceu esta sexta-feira.

  • 30/07/2020 14:41:35

    Erro técnico inviabiliza pagamentos em Ambaca

    Camabatela - Erro técnico na tramitação do processo de contratação pública de obras inseridas no Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIM) inviabilizou o pagamento da primeira trancha, de 15 por cento, do valor total de projectos de construção de duas infra-estruturas sociais, no município de Ambaca, província do Cuanza Norte.