Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

08 Outubro de 2020 | 14h07 - Actualizado em 08 Outubro de 2020 | 14h05

Gabinete da Agricultura desmente escassez de mel no Moxico

Luena - O gabinete provincial da Agricultura Pecuária e Pescas no Moxico desmentiu nesta quinta-feira, no Luena, as informações sobre a escassez de mel a nível da província, postas a circular nas redes sociais, considerando-os mera especulação.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Segundo as acusações, os exploradores de madeira (chineses) são os responsáveis pela extinção das abelhas e, consequentemente, pela escassez do produto na região mais ao leste do país, uma vez que os mesmos aplicam substâncias tóxicas nas colmeias para afugentar as abelhas, bem como secar as árvores.

Em declarações à imprensa, o director provincial do gabinete da Agricultura Pecuária e Pesca, António Maia, refutou tais informações, alegando desconhecer tais práticas nas áreas apícolas a nível da província.   

O responsável alegou que, provavelmente, a insuficiência de mel na região resulta da estiagem registada durante o ano de 2019, que afectou as províncias do Cunene, Cuando Cubango e parte do Moxico.

“Essa situação causa a falta de néctar nas florestas para as abelhas produzirem o mel suficiente para o consumo humano”, referiu.

Para o chefe do departamento provincial do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), Paulo Muacazanga, a produção de madeira a nível local é selectiva, uma vez que as colmeias são colocadas nas árvores de pequeno porte, para permitir os apicultores subir e recolher com facilidade o mel.

Paulo Muacazanga apontou que a estiagem, corte raso de árvores de pequeno porte, queimadas desordenadas, produção de carvão, como sendo os factores que podem incidir sobre a maior produtividade ou não do mel.

Por sua vez, o apicultor Marcolino Prata que extrai o mel há mais de 20 anos, explicou que o indicador da produção de mel inicia a partir do mês de Fevereiro, período que as árvores Mucondo e Mussamba começam a florir.  

Na província do Moxico o Instituto de Desenvolvimento Florestal controla um total de 790 apicultores, distribuídos entre os municípios do Lutchazes, Alto Zambeze, Bundas, Camanongue, Luau e Léua.

Assuntos Província » Moxico  

Leia também
  • 02/10/2020 09:28:16

    Médico defende especialização de jornalistas

    Luena - O chefe do Departamento Provincial de Saúde Pública do Moxico, Balde Barnabé, defendeu quinta-feira, no Luena, a especialização dos jornalistas, para melhor abordagem das matérias ligadas ao sector.

  • 26/09/2020 18:37:03

    Mais de quatro mil habitantes do Dala já consomem água potável

    Luena - Pelo menos quatro mil e 500 habitantes da localidade do Dala (Tchitali), 23 quilómetros da cidade do Luena, beneficiaram, este sábado, de um sistema de abastecimento de água potável.

  • 25/09/2020 17:08:14

    Acidente rodoviário condiciona circulação na EN - 180

    Luena - A circulação rodoviária Estrada Nacional (EN) 180 está condicionada devido o embate de um camião contra a ponte metálica sobre o rio Luconha, no município dos Lutchazes, província do Moxcico.