Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

17 Outubro de 2020 | 10h54 - Actualizado em 17 Outubro de 2020 | 10h53

Finanças exige execução correcta das despesas de combate à pobreza

Lubango - Os recursos atribuídos às administrações municipais, para o Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate à Pobreza, devem ser aplicados de forma adequada, por meio da execução correcta das suas despesas, defendeu hoje, no Lubango, o delegado provincial das Finanças, na Huíla, Carlos Hapapa.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huíla: Carlos Hapapa - delegado provincial das finanças

Foto: Amélia Oliveira

O Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate a Pobreza foi aprovado pelo Decreto Presidencial 140/18 de 06 de Junho e está articulado com o Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) -2018/2022 e é coordenado pelo Ministério da Acção Social, Família e Promoção da Mulher.

O programa conta com a apoio do Ministério da Finanças que tem a responsabilidade de assegurar os recursos, bem como controlar a correcta implementação do plano, que tem o objectivo de reduzir os níveis de pobreza extrema das famílias, assegurar o desenvolvimento humano e o bem-estar das comunidades.

O responsável falava no final de uma sessão de partilha de conhecimentos sobre a maximização da qualidade da despesa no âmbito do Programa Integrado de Desenvolvimento Local e Combate a Pobreza, aos gestores municipais ligados directamente ao plano.

Declarou terem observado mobilidades a nível dos órgãos das administrações local do Estado, referentes a mudança de alguns administradores, o que se traduz na alteração dos principais actores do programa, situação que tem provocado desencontro nos objectivos dos projectos.

“Existe dificuldades por parte dos gestores, ligadas à classificação das despesas. As mesmas devem obedecer critérios como estar orçamentada, cabmentada na programação financeira, num programa ou projecto, assim como ter de ter um ordenador, critérios que nem sempre são respeitados ultimamente”, continuou.

Referiu que a execução do programa reserva a prestação de conta por conta dos órgãos da administração local e têm estado a verificar dificuldades na prestação de contas, como a demora para as administrações remeterem os relatórios de contas e as que conseguem, não cumprem com os critérios de preenchimento dos relatórios.

Salientou ser importante que os gestores possam implementar a formação para terem melhoria na execução das despesas, para que a comunidade possa sentir o impacto da implementação deste programa a nível local.

As sessões de formações iniciaram na segunda-feira, 12, e participaram das mesmas administradores adjuntos para Área Económica, Orçamental e Financeira, directores municipais de Educação e Saúde, responsável do Gabinete Estudos, Planeamento e Estatística (GEPE) dos municípios e secretários das administrações municipais.

 

Leia também
  • 16/10/2020 16:41:22

    Projecto alimentar abrange milhares de famílias vulneráveis

    Lubango - Famílias vulneráveis das províncias da Huíla, Namibe e Cunene beneficiam do Programa de Fortalecimento da Resiliência, Segurança Alimentar e Nutricional em Angola (FRESAN), no âmbito da erradicação da fome no sul País.

  • 16/10/2020 09:29:00

    Homem acusado de matar esposa e ocultar o cadáver

    Lubango - Um homem de 55 anos de idade foi detido pela polícia na cidade do Lubango, província da Huíla, acusado de matar a sua segunda esposa e ocultar o cadáver.

  • 15/10/2020 17:42:33

    Covid-19: Humpata distribui água em escolas

    Humpata - A Direcção Municipal da Educação da Humpata, na Huíla, assegurou hoje, quinta-feira, a distribuição de água por camiões cisternas, de forma regular, para as escolas sem o líquido da rede pública, assim como a disponibilização de material de biossegurança por fases, nas instituições, durante esse período de reinício das aulas.