Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

09 Junho de 2010 | 23h07 - Actualizado em 10 Junho de 2010 | 10h09

Governo investe na compra de novas locomotivas para o CFB

Benguela

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lobito - O governo  angolano investiu mais de 89 milhões de dólares  americanos na compra de novos equipamentos de comboios para os Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB),  garantiu esta quarta-feira, o director-geral da companhia ferroviária, Daniel Quipaxe.


De acordo com o responsável que falava na cerimónia de celebração do contrato entre a direcção do CFB e a empresa chinesa Machinery Equipment Import e Export Corporation, a verba vai servir para compra de oito locomotivas, 66 carruagens, 94 vagões (fechados e abertos).


Será igualmente investido na formação no país de origem dos equipamentos (China)  de técnicos angolanos, dos quais  28 mecânicos de locomotivas, 12 de carruagens e igual número de especialistas de  vagões.


Daniel Quipaxe  que a partir desta quarta-feira deixa a direcção do CFB para  José Carlos Gomes, informou que o montante investido contempla ainda a  requisição de meios de reparação da linha-férrea, cuja metade já se encontra no país.


A formação no local de 40 técnicos da instituição nas diversas áreas de mecânica,  a ser ministrada pelas entidades chinesas faz parte das acções do governo que visam tornar operacional nos próximos tempos o caminho-de-ferro de Benguela.


Na ocasião, o  ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás  afirmou que a aposta do Executivo angolano  na aquisição de equpamentos revela a importância que o Estado atribui ao CFB.


De acordo com Augusto da Silva Tomás, a pretensão do governo é tornar funcional o "chamado corredor do Lobito" de modo a acelerar o desenvolvimento económico do país e da região Austral.

 O CFB, que esteve quase paralisado por mais de 35 anos, devido ao conflito armado,  tem o seu programa de reabilitação a bom ritmo depois da conclusão dos trabalhos de desminagem de cerca de 1.304 quilómetros.


Já estão reabilitados mais de  400 quilómetros dos 1.304 que correspondem à linha-férrea do Lobito (Benguela) ao Luau na província do Moxico.


Para além da reabilitação da linha (colocação de novos carris e pontes) estão em fase de conclusão as obras de construção e recuperação de  75 estações.

Leia também
  • 13/01/2019 11:57:48

    Transportes rodoviários rendem Akz dois milhões por mês ao Estado

    Benguela - Mais de três mil e setecentos operadores de transportes rodoviários, entre táxis e camiões, estão licenciados pelo Gabinete Provincial dos Transportes, Trafico e Mobilidade Urbana de Benguela, que resulta num contributo fiscal de mais de Akz dois milhões por mês, informou hoje (domingo), à Angop, nesta cidade, o seu director, André Ricardo.

  • 07/01/2019 21:35:23

    Embarcações acusadas de violar limites para pesca

    Lobito - As pequenas embarcações que desaparecem da costa marítima de Benguela, com pescadores a bordo, têm violado os limites da sua zona de pesca artesanal, ultrapassando as quatro milhas autorizadas, revelou hoje, à Angop, a Capitania do Porto do Lobito.

  • 19/12/2018 19:49:28

    CFB aumenta número de comboios de passageiros em 2018

    Lobito - Dois mil e setenta e três comboios de passageiros do Caminho de Ferro de Benguela (CFB) circularam este ano, mais mil e 113 do que em 2017, anunciou hoje, no Lobito, Luís Lopes Teixeira, presidente do Conselho de Administração da Empresa.

  • 28/11/2018 13:10:39

    Autocarros com baixa adesão de pasageiros em Benguela

    Lobito - O transporte de passageiros em autocarros nas rotas inter-urbanas no litoral da província de Benguela enfrenta actualmente uma baixa adesão em detrimento dos táxis, disse hoje à Angop, no Lobito, o director do Gabinete Provincial dos Transportes, André Ricardo.