Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

10 Junho de 2010 | 10h11 - Actualizado em 10 Junho de 2010 | 10h54

Ministro quer comboio na fronteira Leste do país

Transportes

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lobito - O ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás, solicitou quarta-feira, nesta cidade, ao novo conselho da administração do Caminho-de-Ferro de Benguela maior entrega e determinação nos trabalhos tendo em conta a necessidade de fazer chegar  o comboio ao município do Luau, província do Moxico.

De acordo com o governante, que falava na cerimónia de apresentação da direcção do conselho de administração do CFB, empossada nesta quarta-feira em Luanda pelo ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Júnior, o Caminho-de-Ferro de Benguela constitui a “mola impulsionadora” para o desenvolvimento económico do país.

Destacou a importância do funcionamento pleno no processo de integração económica dos países da região Austral de África.

Lembrou o facto da interligação do Caminho-de-Ferro de Benguela com o antigo Zaire (actual RD Congo) e Zâmbia ter permitido constituir, nas décadas de 1960 e 1970, mais de oitenta porcento dos rendimentos da companhia.

"O Executivo angolano, liderado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, quer, que a curto ou médio prazo, estes níveis de rendimentos do CFB sejam alcançados, para o desenvolvimento da economia e do bem-estar das populações", realçou.

O titular dos Transportes apelou aos trabalhadores do CFB a cooperarem com a nova direcção da empresa, liderada por José Carlos Gomes, de modo a tornar realizáveis todas as tarefas, sobretudo as de reabilitação da linha-férrea numa extensão de mais de mil e 304 quilómetros, isto é da cidade do Lobito ao município do Luau (região fronteiriça com a Zâmbia), província do Moxico.

Na mesma vertente, apelou à nova direcção da empresa a prestar maior atenção na formação, apoio social e melhoria dos salários dos trabalhadores da companhia em função dos rendimentos e da realidade económica do país.


 
Por seu turno, o presidente do conselho da administração do CFB, José Carlos Gomes, na sua primeira intervenção, defendeu a necessidade de se fazer um levantamento urgente sobre o andamento das obras de reabilitação da linha-férrea.

O Caminho-de-Ferro de Benguela, construído pela administração colonial portuguesa no princípio do século XX, visou essencialmente o escoamento de minério e outras mercadorias dos países como RDCongo e Zâmbia para os países da Europa, através do Porto Comercial do Lobito.

O CFB, que passou à titularidade exclusiva do Estado angolano em 2001, depois de ser gerido por uma administração estrangeira é uma das empresas angolanas que mais foi atingida pelo conflito armado.

Fruto da paz que o país vive desde 2002, o Governo já reabilitou cerca de 400 quilómetros dos 1304 quilómetros que compreendem a extensão ferroviária do CFB.

Leia também
  • 13/01/2019 11:57:48

    Transportes rodoviários rendem Akz dois milhões por mês ao Estado

    Benguela - Mais de três mil e setecentos operadores de transportes rodoviários, entre táxis e camiões, estão licenciados pelo Gabinete Provincial dos Transportes, Trafico e Mobilidade Urbana de Benguela, que resulta num contributo fiscal de mais de Akz dois milhões por mês, informou hoje (domingo), à Angop, nesta cidade, o seu director, André Ricardo.

  • 07/01/2019 21:35:23

    Embarcações acusadas de violar limites para pesca

    Lobito - As pequenas embarcações que desaparecem da costa marítima de Benguela, com pescadores a bordo, têm violado os limites da sua zona de pesca artesanal, ultrapassando as quatro milhas autorizadas, revelou hoje, à Angop, a Capitania do Porto do Lobito.

  • 19/12/2018 19:49:28

    CFB aumenta número de comboios de passageiros em 2018

    Lobito - Dois mil e setenta e três comboios de passageiros do Caminho de Ferro de Benguela (CFB) circularam este ano, mais mil e 113 do que em 2017, anunciou hoje, no Lobito, Luís Lopes Teixeira, presidente do Conselho de Administração da Empresa.

  • 28/11/2018 13:10:39

    Autocarros com baixa adesão de pasageiros em Benguela

    Lobito - O transporte de passageiros em autocarros nas rotas inter-urbanas no litoral da província de Benguela enfrenta actualmente uma baixa adesão em detrimento dos táxis, disse hoje à Angop, no Lobito, o director do Gabinete Provincial dos Transportes, André Ricardo.