Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

01 Outubro de 2010 | 16h50 - Actualizado em 01 Outubro de 2010 | 18h25

Ghassist prevê assistir mais de 4 milhões de passageiros este ano

Aviação

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ghassist preve assistir mais de 4 milhões de passageiros este ano

Foto: Angop

Luanda – A empresa vocacionada a assistência de aeronave e passageiros em terra “Ghassist “, perspectiva para ate ao final do ano uma assistência de mais de 4 milhões de passageiros, segundo o director geral da referida empresa, Manuel Almeida.


Manuel Almeida que falava em entrevista à Angop, a propósito da assistência prestada aos passageiros no aeroporto internacional 4 de Fevereiro, referiu que este ano a instituição prevê atender mais de mil passageiros em relação ao ano transacto em que foram assistidos de três milhões e 600 mil viajante.


Justificou tal aumento pelo facto de desde o principio do ano ter se registado o aumento do movimento de aeronaves do país, com a entrada no mercado de várias companhias nacionais e estrangeiras, bem como o aumento de frequência de voos de outras.


Para o director a empresa tem estado a formar os seus trabalhadores com vista a dar resposta adequada as exigências.  


A Ghassist é a única empresa de "handling" a operar no aeroporto internacional "4 de Fevereiro", garantindo assistência de carga, correio, bagagem, serviços de rampa, serviço de limpeza de aeronave e "load control" (despacho operacional, documentação de tráfego e emissão de folha de carga e de balanceamento.


Foi formada em 1996 embora tenham tomado dimensão efectiva a 1 de Julho de 1997.


O trabalho que faz estava anteriormente incluindo no pacote da TAAG, a companhia de bandeira nacional.


Empresa de carácter privado, tem cerca de 600 trabalhadores e opera nos aeroportos de Luanda, Cabinda e Ondjiva.