Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

11 Março de 2011 | 20h35 - Actualizado em 11 Março de 2011 | 20h41

Companhia Air Gemini solicita suspensão da licença de aviação

Transporte

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – A companhia aérea privada angolana Air Gemini solicitou, ao Instituto Nacional de Aviação Civil (INAVIC), a suspensão da sua licença de operação aérea, revelou hoje (sexta-feira), em Luanda, o director de Segurança Operacional da instituição, comandante Francisco Chocolate.

De acordo com o responsável, que evitou entrar em pormenores sobre as causas da solicitação, a mesma (a cessação) ocorreu num momento em que a companhia encontrava-se no processo de certificação.

 “As operações da Air Gemini estão canceladas a seu pedido”, disse sem outros detalhes.

Explicou que para que a companhia volte a operar, visto que quando pediu o cancelamento das suas licenças encontrava-se num processo de certificação, “terá que recomeçar um processo novo de certificação, só assim voltará a voar”, esclareceu o responsável.

Por outro lado informou que o Serviço Executivo Aéreo de Angola (SEAA), com sede na cidade do Lubango (Huíla), candidata a operar no mercado nacional, iniciou um processo de certificação técnica junto do INAVIC que até ao momento ainda não foi concluído, acrescentando que a operadora só poderá fazer voos comerciais quando for autorizada, visto que o “processo de certificação depende, muitas das vezes, do próprio empenho da empresas”. 

Revelou que o processo de certificação de muitas companhias ainda não foram concluídos, estando o INAVIC a trabalhar intensamente para que sejam finalizados ainda este ano.

“Caso os processos não correspondam com os elementos previstos nas normas e manuais internacionais da ICAO, IATA, assim como as orientações do Ministério dos Transportes de Angola, estas empresas poderão ver as suas operações suspensas, sobretudo por haver questões de segurança a prevenir nas operações”, pontualizou.