Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Transporte

21 Dezembro de 2018 | 17h05 - Actualizado em 21 Dezembro de 2018 | 17h04

Passageiros queixam-se pela subida do bilhete na rota Soyo/Luanda

Mbanza Kongo - Cinco mil e 700 Kwanzas é o actual preço que a empresa de transportes públicos interprovinciais Macon está a cobrar desde o início desta semana na rota Soyo/Luanda e vice-versa, contra os cinco mil e 200 Kwanzas praticados anteriormente.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Zaire: Autocarro da Macon

Foto: Pedro Moniz Vidal

Alguns passageiros que falaram nesta sexta-feira à Angop, no Soyo, mostraram-se indignados com a decisão tomada pela operadora, por não ter comunicado com antecedência à alteração da tarifa.

“Fomos apanhados de surpresa quanto a subida do preço do bilhete de passagem pela Macon no itinerário Soyo/Luanda e vice-versa. Pedimos a intervenção das entidades de direito para inverter o quadro”, disse Maria José, passageira.

De acordo com a interlocutora, a subida unilateral do preço de corrida por esta empresa de transportes públicos interprovinciais pode, de certa medida, influenciar no aumento generalizado da tarifa de táxi na rota Soyo/Luanda.

Por sua vez, o passageiro Paulo Muabi, a Macon aproveitou o fluxo de viajantes que se assiste nos últimos dias na cidade do Soyo, tendo em conta a quadra festiva que se avizinha, situação que considerou de aproveitamento e lucro fácil.

“Esperamos que as autoridades de direito ponham a mão nessa situação, para não haver uma subida generalizada do preço de táxi a nível do município do Soyo”, solicitou.

Manuel Francisco, também passageiro, a subida da tarifa pela transportadora Macon surpreendeu os munícipes locais, por não terem sido informados com antecedência.

Segundo a fonte, é inconcebível uma empresa como a Macon com aceitação e idoneidade que tem no mercado de transportes públicos a nível do país, tomar uma decisão como essa sem antes comunicar aos seus clientes.

A Macon opera no município do Soyo há mais de cinco anos, com uma frota de quatro a seis autocarros por dia.

A Angop tentou sem sucessos ouvir os representantes desta transportadora no município do Soyo, para a obtenção de mais informações sobre o assunto.

Leia também
  • 12/12/2018 12:48:48

    Companhia aérea retoma voos para Mbanza Kongo

    Mbanza Kongo - A companhia aérea SJL-aeronáutica voltou, desde o princípio deste mês de Dezembro, a operar na cidade de Mbanza Kongo, capital da província do Zaire, com duas frequências semanais, oito meses depois da suspensão dos seus voos.

  • 15/11/2018 17:30:57

    Operadoras queixam-se de condições inadequadas na estação rodoviária

    Mbanza Kongo - A falta de água canalizada, o deficiente fornecimento de energia eléctrica, assim como o débil sistema de saneamento básico e higiene estão a criar constrangimentos ao normal funcionamento da estação rodoviária de Mbanza Kongo, província do Zaire.

  • 20/10/2018 16:36:54

    Estação rodoviária de Mbanza Kongo retoma actividade

    Mbanza Kongo - O processo de embarque e desembarque de passageiros e mercadorias nas rotas inter-provincial e inter-municipais, em Mbanza Kongo, província do Zaire, volta, nos próximos dias, a efectuar-se na estação rodoviária pública local.