Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Turismo

12 Abril de 2019 | 14h32 - Actualizado em 12 Abril de 2019 | 14h32

Pólo Turístico do Cabo Ledo necessita de AKZ cinco mil milhões

Luanda - Cinco mil milhões de kwanzas é o valor necessário para a criação das condições objectivas para a real funcionalidade do Pólo de Desenvolvimento Turístico de Cabo Ledo, localizado no município da Quiçama, em Luanda, informou o seu director-geral, Jacob Moisés.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Governador de Luanda Sérgio Luther Rescova visita município da Quiçama

Foto: Cedida

Em declarações à imprensa, quinta-feira, a propósito de uma visita de inspecção que o governador provincial de Luanda, Sérgio Luther Rescova, efectuou ao projecto, o responsável explicou que estes valores permitirão elaborar o plano estratégico e cumprir com a implementação do directório.

"O Pólo não está a desempenhar o seu verdadeiro papel por falta de verbas. Pois não há água nem energia eléctrica, e os poucos investidores existentes em Cabo Lebo têm sentido muitas dificuldades para beneficiar destes serviços, optando por fontes alternativas", lamentou director-geral.

Neste sentido, Jacob Moisés defende uma intervenção de facto do Executivo, com a cabimentação de valores para se poder colocar as infraestruturas necessárias ao Pólo, manter um ordenamento exequível, com vista a atrair-se cada vez mais investidores para este projecto.

Salientou, na ocasião, que se está a corrigir alguns erros cometidos no passado, porque o Pólo está localizado num perímetro habitado por populações, além de que se transferiu da província do Bengo para a de Luanda, por força da nova divisão administratriva.

Por outro lado, disse, houve também cedência, por parte do Governo do Bengo, de terrenos acima do limite que a Lei autoriza (150, 200 e até 300 hectares).

"Para terrenos urbanísticos, a Lei de Terra permite apenas cinco hectares, acima disto é responsabilidade do titular do poder executivo", referiu Jacob Moisés, informando que, neste momento, as pessoas com cargos públicos que ocuparam ilegalmente alguns espaços estão a ser notificadas".

Assuntos Turismo  

Leia também
  • 17/01/2019 14:43:26

    Turismo prevê melhor rentabilidade de restaurantes na Ilha

    Luanda - O Ministério do Turismo vai, nos próximos dias, encetar encontros com diferentes parceiros que influenciam no custo final dos produtos praticados pelos restaurantes na Ilha do Cabo, em Luanda, visando elevar o fluxo de clientes e minorar reclamações sobre os preços altos.

  • 16/12/2018 06:46:41

    Cuanza Norte: Defendida melhoria dos acessos aos locais turísticos

    Dondo - O técnico do turismo, Nelson Cabenda, advogou sábado, no Dondo, município de Cambambe, Cuanza Norte, a melhoria dos acessos aos pontos turísticos locais, visando atrair turistas e investidores neste sector à região.

  • 28/10/2018 18:56:48

    Angola tem novo representante junto da Organização Mundial do Turismo

    Madrid - O embaixador extraordinário e plenipotenciário de Angola junto do Reino de Espanha, José Luís de Matos Agostinho, foi acreditado, sexta-feira última, como representante permanente do país africano junto da Organização Mundial do Turismo (OMT).