Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Discursos dos Presidentes » Discurso na abertura do processo de outorga de medalhas a militantes e simpatizantes

Discurso na abertura do processo de outorga de medalhas a militantes e simpatizantes

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

03/12/2011 - Discurso na abertura do processo de outorga de medalhas a militantes e simpatizantes

CAMARADA SECRETÁRIO-GERAL,

CAMARADAS MEMBROS DO COMITÉ CENTRAL,

CAMARADAS,

MINHAS SENHORAS E MEUS SENHORES,

Acabámos de ouvir, através da intervenção do Secretário do Bureau Político para a Política de Quadros, uma explicação sobre o Sistema de Distinções do MPLA, que visa prestar homenagem aos membros da Direcção do MPLA e a todos aqueles que, em todas as etapas e fases da nossa luta, mais se destacaram no cumprimento das tarefas e missões que, ao serviço do Povo angolano, o MPLA lhes confiou.

 

Vão ser assim outorgadas as Medalhas '10 de Dezembro', '17 de Setembro' de 1 ° Grau e 2° Grau, 'Deolinda Rodrigues', 'Hoji ya Henda' e 'Militante de Vanguarda' de 1°,2° e 3° Graus a militantes, amigos, simpatizantes, órgãos, organismos e organizações que têm contribuído para a afirmação do MPLA no contexto nacional.

Este é um acto de grande significado político e social e uma importante iniciativa, que tem lugar num momento em que o nosso glorioso Partido se prepara para assinalar o quinquagésimo quinto ano da sua fundação e o trigésimo sexto à frente dos destinos de Angola como Nação independente e soberana.

Estamos aqui para reconhecer e enaltecer o mérito de muitos que estão nesta sala e de muitos outros grandes patriotas que já nos deixaram, cuja luta abnegada e vitoriosa, rodeada de enormes vicissitudes, permitiram libertar Angola e construir o que temos hoje.

 

 

É uma ocasião em que não podemos esquecer Agostinho Neto como figura política central da nossa História e fonte de inspiração para a luta que o nosso Partido conduz desde o seu desaparecimento físico até aos nossos dias.

São muitos anos de lutas e de muito empenho na concretização das mais profundas aspirações do povo angolano, num contexto interno e internacional de muitas dificuldades e de graves atentados à nossa soberania e integridade territorial.

 Foram anos de lutas, derrotas e vitórias, em que tivemos mais vitórias decisivas do que aqueles que se opunham a nós. Podemos, assim, orgulhar-nos de ter compreendido e de ter estado sempre em perfeita sintonia com a vontade da imensa maioria dos angolanos.

Homenageando os presentes, homenageamos também esses angolanos que não hesitaram em fazer sacrifícios, incluindo o sacrifício da própria vida, quando foi necessário, para que pudéssemos hoje viver em paz e em democracia, criando as condições para um futuro de progresso e de bem-estar para todos.

 A homenagem que hoje é feita aos nossos valorosos militantes e aos combatentes vai, por essa razão, muito além deles próprios, porque ela pretende ser extensiva a todos os patriotas e aqueles heróis anónimos que a história não registou, mas que são também os pilares da Pátria em construção.

 Estamos praticamente no fim de mais um ano e esperam-nos, no próximo ano, tarefas acrescidas por causa da realização das Eleições Gerais. Tenho a certeza de que o MPLA vai continuar a provar à sociedade que dispõe do melhor programa de governação e que é que melhor está preparado para defender os interesses do povo angolano.

 Acreditámos sempre no binómio MPLA-Povo e, por essa razão, Angola está por mérito próprio entre as nações que mais crescem e se desenvolvem no mundo, provando assim que o rumo que escolhemos é o que melhor serve a resolução dos problemas que ainda afectam grande parte da nossa população.

  

Desejo que as medalhas que hoje são outorgadas sirvam de estímulo a um maior empenho e dedicação na realização dos nobres ideais que nos norteiam e possam aumentar a motivação para as tarefas da reconstrução, democratização e desenvolvimento da Nação angolana.

 VIVA ANGOLA!

VIVA A UNIDADE NACIONAL! A LUTA CONTINUA!

A VITÓRIA É CERTA!