Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Discursos dos Presidentes » Discurso do PR na visita ao Brasil

Discurso do PR na visita ao Brasil

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

24/06/2010 - Discurso do PR na visita ao Brasil

Sua Excelência Luís Inácio Lula da Silva,


Presidente da República Federativa do Brasil,


Excelentíssima Sra. Marisa Letícia Lula da Silva,


Digníssima Primeira Dama do Brasil,


Altos dignatários do Estado brasileiro,


Ilustres convidados,


Minhas Senhoras e meus Senhores,

Com o mesmo sentimento de sempre, o sentimento de me encontrar num país irmão, regresso hoje a Brasília, uma cidade nascida do arrojo visionário de um povo empenhado no progresso e na modernidade.

 

No ano em que esta bela capital celebra os cinquenta anos da sua fundação, gostaria de felicitar os seus promotores e os actuais dirigentes do país por dela terem feito o centro de decisões que estão a transformar radicalmente o Brasil e a impor o seu papel cada vez mais determinante no mundo actual.

 

O Senhor Presidente Lula fez questão de visitar Angola por duas vezes e eu também acedi ao convite para visitar pela segunda vez o Brasil antes do termo do seu actual mandato.

 

Estas visitas, com efeito, têm o condão de aproximar ainda mais os nossos povos e contribuem para promover e harmonizar os nossos interesses comuns, tanto no plano bilateral e regional como no plano internacional.

 

Ao nível bilateral, pretendemos reafirmar a intenção de intercâmbio de informações por meio de consultas regulares, à luz do memorando já assinado com esse fim, assim como perspectivar uma parceria estratégica em áreas importantes da actual conjuntura mundial.

 

Angola necessita de absorver todo um conjunto de experiências que o Brasil possui no sentido de captar a transferência de tecnologia e de conhecimento e de promover relações comerciais mais equilibradas que envolvam os agentes económicos de ambos os países.

 

Com o concurso da cooperação brasileira, desejamos também desenvolver os sectores da agro-indústria, dos materiais de construção e da indústria estruturante e pesada, uma vez que a sua revitalização é uma das nossas grandes prioridades.

 

No domínio agrícola, tendo em conta a similidade de clima, solos e tipos de cultura, continuamos empenhados em que os programas já estabelecidos entre os dois países contribuam de facto para a redução da pobreza, a sustentabilidade alimentar e a criação de novos postos de trabalho e garantam que Angola volte a ser, como no passado, um país exportador.

 

Atribuímos também uma grande importância aos projectos que visam criar fontes alternativas de energia, tanto a solar como a de biocombustíveis, para os quais a já significativa experiência brasileira nesses domínios pode ser de grande ajuda.

 

Paralelamente, Angola pretende desenvolver com o Brasil programas no domínio do ensino, que visam dotar os quadros angolanos da qualificação adequada para enfrentar os crescentes desafios que a globalização impõe.

 

Na área da saúde, é necessário rentabilizar ainda mais a cooperação já existente, capacitando e formando os técnicos para os programas já em fase de execução e para outros em vias de aprovação, bem como garantindo o equipamento dentro dos parâmetros internacionais das unidades de saúde e um melhor serviço hospitalar.

 

Isto mesmo está reiterado nos acordos, e que não foram poucos, que acabamos de assinar hoje, e que penso vão dar um maior impulso à cooperação bilateral.

 

Sr. Presidente,


Minhas Senhoras e meus Senhores,

 

Nós apreciamos o protagonismo que o Brasil e o Presidente Lula têm vindo a assumir no plano internacional e o reconhecimento por parte de amplos sectores da comunidade internacional da crescente importância do seu contributo para a solução de alguns dos ingentes problemas do mundo actual.

 

Estando hoje integrado entre as vinte maiores economias mundiais, o Brasil tem visto crescer a sua influência na América Latina, em África e no mundo e é assim com toda a justiça e legitimidade que aspira tornar-se Membro Permanente do Conselho de Segurança das Nações Unidas, tendo por isso, o nosso apoio.

 

No plano da política externa, com efeito, o Brasil teve sempre uma visão clara de qual deveria ser o seu posicionamento, não só optando pelo princípio da boa vizinhança na sua região e pelo estreitamento de relações de amizade e de cooperação com o continente africano, mas também intervindo como hábil negociador em muitas das questões cruciais da actualidade internacional.

 

Felicitamos o Brasil por ter compreendido a importância do diálogo, utilizando-o com mestria como principal instrumento na busca de soluções duradouras para os grandes problemas mundiais deste século.

 

Também é de realçar, neste contexto, o incremento por parte do Brasil do diálogo político e da cooperação Sul-Sul, graças ao empenho pessoal do Presidente Lula da Silva.

 

O combate contra a fome e a pobreza e a luta pela segurança alimentar e a igualdade social são desafios que podem beneficiar da cooperação Sul-Sul, transformando afinidades e interesses comuns em benefícios para todos os países envolvidos.

 

No domínio diplomático, estando presente na discussão das grandes questões regionais e internacionais, o Brasil defendeu sempre a paz e a ordem internacional assente no Estado de Direito e no desenvolvimento sustentável da Humanidade.

 

Espero, assim, que o próximo sucessor do Presidente Lula à frente dos destinos do país continue a erguer esta grande obra, que cultive sempre os laços fraternos e de amizade que unem os nossos dois povos irmãos.

 

Muito Obrigado.