Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Discursos dos Presidentes » Discurso do PR por ocasião da visita do Presidente da República do Gana

Discurso do PR por ocasião da visita do Presidente da República do Gana

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

09/08/2019 - Íntegra do discurso pronunciado, em Luanda, pelo Presidente da República, João Lourenço, por ocasião da visita oficial de Nana Addo Dankwa Akufo-Addo, Presidente da República do Gana.

Luanda, 9 de Agosto de 2019

-Sua Excelência Nana Addo Dankwa Akufo- Addo, Presidente da República do Gana,

-Excelentíssimos Senhores Membros das delegações angolana e ganense,

-Distintos Convidados,

-Minhas Senhoras, Meus Senhores,

É com bastante regozijo que dou as boas-vindas à Vossa Excelência e à delegação que vos acompanha, fazendo votos de boa estadia em Angola e que durante esta sua primeira visita ao nosso país, usufrua da hospitalidade do povo angolano, que mantém com o povo ganense uma longa história de amizade, solidariedade e cooperação.

Desde os primórdios da nossa luta de libertação nacional e da fase posterior à nossa Independência que contamos com o apoio fraterno do povo e das autoridades ganenses na defesa da nossa causa.

Continuam assim vivos os ideais defendidos pelos saudosos Presidentes Kwame Nkruma e Agostinho Neto na nossa caminhada comum pela paz, pela democracia, pelo progresso social e o desenvolvimento.

A visita de Vossa Excelência simboliza não só a evidência dessas relações históricas, como constitui igualmente a prova da vontade política de estabelecermos um canal de diálogo que nos permite abordar de forma mais directa temas de interesse comum ao nível bilateral e internacional.

Como é do conhecimento de Vossa Excelência, data de Fevereiro de 1981 o primeiro Acordo de Cooperação que criou a Comissão Mista Económica Permanente entre os nossos países, mas desde então que as várias tentativas de se alargar a nossa cooperação, não tiveram os resultados à altura dos laços que nos unem. 

Esta é pois, uma ocasião oportuna para fazermos um balanço do que se passou e para perspectivarmos as acções futuras.

Estou confiante que podemos fazer muito mais, tendo em conta as potencialidades e oportunidades que cada um dos nossos países pode oferecer em vários sectores, como por exemplo no ensino superior, nas ciências e tecnologias de informação, nas pescas, nos transportes aéreos e marítimos, na energia e águas, na construção civil, nos petróleos, na indústria, na agricultura, no turismo, no ambiente, na saúde, na cultura e nos desportos.

É tempo de passarmos dos projectos às acções concretas. Os empresários ganenses têm no nosso mercado muitas oportunidades de negócios, quer de forma directa quer em parcerias com empresas públicas e privadas e as nossas portas estão abertas para eles.

Os acordos que viermos a assinar com a reactivação da Comissão Mista Bilateral e no domínio da supressão de vistos, podem permitir a redinamização da nossa cooperação.

Espero pois, que a visita de Vossa Excelência marque não só uma nova dinâmica na cooperação entre os nossos países, mas que nos permita também trabalhar juntos para o reforço da unidadeentre os povos africanos e para cumprirmos os compromissos assumidos na materialização da integração regional e continental.

Excelência,

Minhas Senhoras, Meus Senhores,

O Gana foi no passado uma das mais florescentes civilizações de Africa e continua no presente a ser modelo de maturidade política e de respeito pelos valores democráticos, como o demonstra a decorrido a altemância das forças no poder no vosso país.

Este é um desafio que temos de ver superado também em outras regiões do nosso continente, pois a não observação dos princípios básicos de um Estado Democrático de Direito aprofunda as divisões e o ódio étnico-racial, que só causam conflitos e adiam o cumprimento dos objectivos fixados pelas Nações Unidas e pela União Africana.

Os conflitos armados, a pobreza extrema e a falta de uma liderança capaz, são os factores que mais contribuem para travar o desenvolvimento socio-económico de Africa e desvirtuar os esforços que alguns países tais como o Gana, têm vindo a fazer para criar um clima propício à atracção de investimentos públicos ou privados estrangeiros, em parcerias mutuamente vantajosas.

Para inverter este quadro, temos de apostar seriamente na juventude africana, força motriz das economias de nossos países, proporcionando-lhe as oportunidades para se afirmarem na sociedade.

No âmbito da cooperação regional, devemos continuar a centrar a nossa atenção nas reformas da União Africana, que visam tomar esta organização continental mais adaptada às realidades e exigências actuais.

Ao nível das nossas sub-regiões, temos vários desafios a considerar, sobretudo os que têm a ver com a instabilidade resultante de conflitos pós-eleitorais, inter-étnicos e do extremismo e fundamentalismo religioso.

Estamos a acompanhar com bastante preocupação a situação na Líbia, na República Democrática do Congo e na República Centro-Africana, onde persiste um clima de instabilidade por acção de grupos armados.

Termino, reiterando a Vossa Excelência o engajamento do governo da República de Angola em continuar a colaborar com o governo do Gana na resolução dos diversos problemas que afligem o nosso continente.

Reitero a Vossa Excelência e à delegação que o acompanha os meus votos de boas- vindas e, em meu nome e em nome do povo angolano, transmito-lhe o sentimento de amizade e fratemidade que liga o povo angolano ao povo irmão do Gana.

Muito obrigado!