Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

06 Julho de 2020 | 22h31 - Actualizado em 20 Julho de 2020 | 12h30

Desactivadas 266 armadilhas no Parque Nacional de Cangandala

Cangandala- Duzentas e 66 armadilhas de caçadores furtivos foram desactivadas durante o primeiro semestre deste ano, no Parque Nacional de Cangandala, informou o seu administrador, Victor Paca.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Malanje: Palanca Negra Gigante no Parque Nacional da Cangandala

Foto: Divulgação

Malanje: Parque Nacional da Cangandala

Foto: Divulgação

Falando  durante uma visita do governador provincial, Norberto dos Santos, ao local, o responsável considerou preocupante a situação, dada a reincidência dos caçadores, apesar de os números de armadilhas reduzirem substancialmente em relação ao mesmo período do ano transacto.

Fruto destas práticas, acrescentou, registrou-se, também, nos últimos dias, a queimada de 21 quilómetros ao longo do perímetro do parque, perigando a fauna e a flora.

Para fazer face à situação, os ficais, embora ainda em número reduzido, estão a encerrar os caminhos criados pelos caçadores e a reforçar a segurança, acção que será intensificada com a inserção de 50 novos fiscais, a serem distribuídos nos quatro pontos de fiscalização, recentemente criados.

Victor Paca informou  que, actualmente, são monitoradas 90 Palancas Negras Gigantes, através do Sistema de Navegação Por Satélite (GPS), cujo santuário turístico já se encontra concluído, a par da construção do miradouro, tanques de água, bebedouro, entre outras infra-estruturas.

A abertura do santuário está para breve, mas lamentou a dificuldade do troço que liga a sede municipal de Cangandala ao parque.

Já o director do Gabinete Provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, José Neves, declarou que, para se banir a caça furtiva no parque, se têm incentivado as comunidades locais a adoptarem práticas sustentáveis, de modo a não comprometer a biodiversidade.

Estabelecido como Reserva Natural Integral a 25 de Junho de 1963 e elevado a Parque Nacional a 25 de Junho de 1970, o Parque Nacional de Cangandala, localizado no município com o mesmo nome, tem uma extensão territorial de 600 quilómetros quadrados e situa-se a cerca de 50 quilómetros da cidade de Malanje.

Leia também
  • 18/06/2020 16:26:37

    Ambiente lança projecto de combate ao comércio ilegal

    Luanda - O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente lançou hoje um projecto de combate ao comércio ilegal da vida selvagem e ao conflito homem e animal em Angola.

  • 15/06/2020 11:27:42

    Município da Catumbela aposta na arborização

    Catumbela - A vila-sede do município da Catumbela e respectivas comunas contam, nos últimos dias, com trezentas novas mudas de árvores das espécies de eucaliptos, acácias e palmeiras, plantadas no quadro de uma campanha de arborização na província de Benguela.

  • 08/06/2020 22:01:29

    Lunda Sul sem fiscais ambientais

    Saurimo - A província da Lunda Sul, localizada no centro da região leste de Angola, não dispõe de fiscais ambientais para combater a caça furtiva, exploração ilegal de carvão, madeira, abate de árvores e queimadas anárquicas, revelou hoje, segunda-feira, o director do Gabinete Provincial do Ambiente e Resíduos Sólidos, Carlos Ferreira.