Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ciência e Tecnologia

28 Novembro de 2017 | 10h09 - Actualizado em 28 Novembro de 2017 | 11h37

Governo angolano lança concurso público para nova operadora global

Luanda - O Governo angolano vai lançar um concurso público internacional para um quarto operador global de telecomunicações, incluindo a rede fixa, móvel e de televisão por subscrição, integrando o Estado a estrutura accionista com 45% do capital.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha

Foto: Joaquina Bento

O anúncio foi feito segunda-feira, em Luanda, pelo ministro das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, José Carvalho da Rocha, garantindo que até final deste ano o regulador do sector terá disponíveis os cadernos de encargos para os investidores interessados.

"Vamos aumentar a concorrência. Vai melhorar o serviço e vamos actuar sobre os preços e a qualidade do serviço", afirmou o governante.

Acrescentou que o Ministério das Telecomunicações e Tecnologias de Informação já recebeu "várias" manifestações interesse por parte de investidores nacionais e estrangeiros, mas que o processo, até à escolha final do operador, "não será concluído em menos de três meses".

Em simultâneo, acrescentou José Carvalho da Rocha, o Estado vai privatizar 45% do capital social da empresa pública Angola Telecom, que actualmente se dedica apenas à rede fixa.

Estas medidas inserem-se na reestruturação do sector das telecomunicações em Angola e para "dinamizar o mercado". Passam a existir apenas dois títulos para operadores, multi-serviço e global, este designado como título unificado e que permite prestar todo o tipo de comunicações, móveis e fixas.

Móvel passa de dois para quatro operadores.

A privatização parcial da Angola Telecom, em processo de reestruturação, permitirá garantir, disse o ministro, o investimento necessário à sua entrada, também, nas comunicações móveis.

O mesmo acontecerá com a quarta licença que agora seguirá para concurso público, permitindo, além de telecomunicações móveis e fixas, também dados e televisão por subscrição.

Actualmente, o mercado das telecomunicações móveis possui três operadoras globais, nomeadamente Angola Telecom (pública), Unitel e Movicel (privadas).    

Desta forma, estas operadoras enfrentam a possibilidade de ter dois novos concorrentes no segmento das telecomunicações móveis.

De acordo com os números revelados pelo ministro José Carvalho da Rocha, Angola tem actualmente mais de 11 milhões de cartões da rede móvel registados.



 

Assuntos Tecnologias  

Leia também
  • 01/11/2018 23:59:55

    Angola:Feira internacional da Alemanha arranca com 800 ideias e novos produtos

    Luanda - Oitocentas ideias, invenções e novos produtos, das quais 11 de Angola, estão expostas desde hoje, em Nuremberg, República Federal da Alemanha, na 70ª edição da Feira de Ideias, Invenções e Novos Produtos (iENA), com o fim previsto para Domingo.

  • 01/11/2018 18:09:28

    Massificação das TIC facilita o acesso ao saber

    Luanda - A necessidade de massificação das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) nas escolas do ensino secundário para facilitar o acesso rápido a informação e ao conhecimento foi defendida hoje, quinta-feira, em Luanda, pela engenheira Juliana Panzo, ligada ao Instituto de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI).

  • 01/11/2018 10:00:09

    Feira de Ideias e Invenções de Nuremberga com 11 projectos nacionais

    Luanda - Angola está representada com 11 projectos na 70ª edição da Feira de Ideias, Invenções e Novos Produtos, que decorre de 01 a 4 deste mês, em Nuremberga, na Alemanha.

  • 18/10/2018 18:23:06

    Multinacional anuncia funcionamento do Sistema de Cabos Submarinos

    Luanda - A multinacional angolana de telecomunicações, Angola Cables, anunciou hoje, em Luanda, a entrada em funcionamento do Sistema de Cabos Submarinos da Costa Ocidental Africana (WACS), condicionado desde o passado dia 18 de Setembro, em consequência do corte registado a cerca de 1,2 quilómetros da Estação de Sangano.