Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

26 Abril de 2019 | 11h18 - Actualizado em 27 Abril de 2019 | 13h26

Descoberto metal raro no Huambo

Huambo - Uma reserva de aproximadamente 23 biliões de toneladas de minério bruto de um raro metal, denominado 'terras raras', foi descoberta no município do Longonjo, província do Huambo, após um estudo de prospecção que durou dois anos.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Huambo: Amostras retiradas da zona de exploração

Foto: Aurélio Janeiro

Do minério, após processamento, resultará uma quantidade indeterminada do raro mineral. O projecto, que começa a ser explorado em 2020, é uma parceria entre as empresas angolana Ferrangol-EP e a australiana Pesana.

No âmbito da jornada do mineiro, que se realiza de 15 a 27 deste mês, uma delegação do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleos, chefiada pelo director nacional dos Mineiros, André Buta Neto, visitou o projecto e constatou que se está em presença de um depósito  de nível mundial.

De acordo com o director administrativo da Ozango Minerais (empresa resultante da parceria), Timothy George, a jazida tem perto de 2,5 quilómetros de diâmetro de chaminé, tendo sido efectuados, nessa fase de prospecção, mais de 200 furos de sondagem da superfície, à profundidade de 35 metros, numa malha de prospecção de 500/700 metros.

O especialista disse  que os equipamentos para a fase de exploração, que decorrerá num horizonte de 10 a 20 anos, serão montados no próximo ano.

Explicou que a empresa está a prospectar, neste momento, NDPR ou elementos de "terras raras", que produzem um íman de grande durabilidade, aplicado em motores de carros eléctricos, turbinas eólicas,  para o uso militar, hospitalar, entre outros.

Disse estarem em curso trabalhos de sondagem, amostragem, mineralogia, testes metalúrgicos, estimação de recurso mineral, engenharia de projecto, desejo da mina a céu aberto, estudos de custos e avaliação de impacto ambiental e social, além da consulta a comunidade.

Timothy George deu a conhecer que para a próxima fase, marcada para o segundo semestre deste ano, estão previstos a obtenção da licença do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, acordos de aquisição de consumo, financiamento e engenharia do projecto, construção de estruturas de apoio, entre outros.

Sem adiantar o valor global do projecto, o responsável acrescentou que o plano de geologia simplificado da topografia do carbonatito do Longongo, tem também como potencial o aumento da oferta de trabalho qualificação e a formação de quadros.

Segundo o responsável, apesar de Angola não ter mercado para a comercialização do minério, a empresa vai concentrar o produto no país e criará mecanismos para que os compradores venham obter o mineral localmente, num valor de, aproximadamente, 60 dólares norte-americanos por quilograma.

Explicou que, depois da exploração e concentração dos produtos, os clientes farão a refinação do minério.

Por seu turno, o director nacional dos Mineiros, André Buta Neto, disse que o projecto, único no país, se insere no programa de diversificação da actividade mineira nacional.

Referiu que a exploração  do carbonato e outros minerais terá como princípio fundamental o respeito às normas ambientais, de modo a não prejudicar a população, a quem o Governo pretende, com este projecto, melhorar a sua condição de vida.

Chamados por alguns de “ouro do século XXI”, por sua raridade e valor económico, as "terras raras" são metais que servem de matéria-prima essencial para itens de alta tecnologia.

Localizá-los com o grau de pureza e concentração necessárias é uma tarefa difícil, por isso, são tidos como raros. Entre as características de maior destaque estão a condução de calor e electricidade, além do facto de se tratarem de estruturas que são altamente magnetizáveis.

As suas propriedades químicas e físicas são utilizadas em uma grande variedade de aplicações tecnológicas e estão incorporadas em supercondutores, magnetos, catalisadores, entre outros.

São minérios que garantem características únicas a diversos tipos de ligas metálicas, como os iPhones, carros híbridos, lasers, entre outros.

Para se ter uma ideia do seu valor de mercado mundial, um quilograma de óxido de lantânio custa 150 dólares norte-americanos.

O consumo desses minerais, em todo o mundo, chega a 150 mil toneladas/ano.

Os tipos de metais  "terras raras" chegam a 17, mas apenas seis tipos são mais conhecidos: neodímio,  lantânio, praseodímio, gadolínio,  samário e cério.

A China é o principal produtor e mercado desse mineral.

Leia também
  • 27/04/2019 09:15:35

    Rota Luanda/Sal cumpre estratégias dos líderes africanos - Rui Carreira

    Luanda - A inauguração da rota Luanda/Sal, com escala em São Tomé e Príncipe, cumpre com as estratégias dos Chefes de Estados africanos que apostam no aumento da conectividade aérea entre os cidadãos do continente, contribuindo assim para o desenvolvimento local das populações, declarou sexta-feira, na Ilha do Sal, Cabo Verde, o presidente da Comissão Executiva da TAAG-SA, Rui Carreira.

  • 27/04/2019 08:34:47

    Inaugurada rota Luanda/Ilha do Sal

    Luanda - A TAAG-SA, Linhas Aéreas de Angola, voltou, na sexta-feira (26), a voar para a República de Cabo Verde, depois de três anos de interregno devido a dificuldades financeiras, sendo a rota Luanda/Ilha do Sal a escolhida em detrimento da rota Luanda/cidade da Praia que pode ser, em breve, operada pela Cabo Verde Airlines.

  • 26/04/2019 20:53:59

    Sistema jurídico angolano consolida economia de mercado

    Huambo - O estado angolano dispõe de um sistema jurídico capaz de dar resposta aos desafios da consolidação de uma economia de mercado, afirmou hoje, sexta-feira, na cidade do Huambo, o professor auxiliar da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, Francisco Mendes Correia.

  • 26/04/2019 20:13:31

    Angola assina acordos com Cabo verde para reforçar sector marítimo

    Luanda - O Instituto Marítimo e Portuário de Angola (Impa) e o de Cabo Verde assinaram hoje um acordo de cooperação para a implementação das convenções e regulamentos marítimos internacionais que vão garantir a segurança e protecção na actividade marítima do País.