Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

26 Junho de 2019 | 18h57 - Actualizado em 27 Junho de 2019 | 08h10

Ministro confirma energia de Laúca para Huíla e Namibe em um ano

Lubango - O ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, informou terça-feira, no Lubango, que decorrem estudos para a interligação dos sistemas de energia eléctrica, a partir da barragem de Laúca (Malanje), para o Lubango e Namibe, através da construção de uma linha com capacidade de mais de 150 megawatts para as duas cidades e que deve estar pronta em um ano.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro da Energia e Água, João Baptista Borges.

Foto: José Cachiva

O ministro que falava durante a visita que o Presidente da República, João Lourenço efectuou à província da Huíla nos dias 24 e 25 do mês em curso, disse que o projecto está em estudos  de viabilidade e tem a finalidade de reforçar a capacidade de energia para as duas províncias.

Explicou que a interligação vai ser assegurada por via da construção de uma linha entre o Gove (Huambo) e a Matala, uma vez que este município huilano e a capital, Lubango, já têm uma ligação, bem como do Lubango a cidade de Moçâmedes (Namibe), podendo transportar para as ambas as localidades mais de 150 megawatts, trabalho que poderá ser feito em um ano.

Destacou ser um projecto “fundamental” para redução dos elevados custos com combustíveis que registam anualmente a nível do Lubango e Namibe, pois são cidades suportadas por fontes térmicas essencialmente e a população cresce diariamente, assim como aumentam as infra-estruturas, que necesitam deste serviço.

“Tudo isso representa um aumento de consumo de combustível. Estamos com mais de 500 mil litros de consumo nas duas cidades dia, muito significativo, estamos a falar de mais de mil milhões de kwanzas/mês, temos de fazer tudo para poder reduzir os custos e trazer mais energia eléctrica, sobretudo mais barata”, realçou.

A energia para as cidades do Lubango e Moçâmedes é gerada actualmente pela barragem da Matala, central térmica do Lubango e a sua congénere do Sacomar (Namibe).

Leia também
  • 19/06/2019 17:00:48

    Gado bovino do Cunene e da Namíbia imigram para Mulondo

    Matala - Pelo menos 50 mil cabeças de gado bovino provenientes da província do Cunene e da República da Namíbia imigraram com os seus criadores para a comuna do Mulondo, 125 quilómetros da sede municipal da Matala, na Huíla, originando escassez de pasto, na região banhada pelo rio Cunene.

  • 13/06/2019 09:00:15

    Acções contra seca contemplam 120 quilómetros de estradas

    Lubango - O governo da Huíla está a reabilitar 120 quilómetros de estradas terciárias, no quadro do programa de emergência contra à seca, para facilitar o acesso às zonas onde serão construídos sistemas de água, áreas cujas vias estão degradadas e dificultam a intervenção das empreitadas.

  • 06/06/2019 15:25:41

    IRSEA aposta no software KPI's para melhoria de serviços

    Luanda - O Instituto Regulador dos Serviços de Electricidade e de Água (IRSEA) passará a utilizar um software de gestão denominado KPI's, com vista a maximizar e melhorar os serviços de electricidade e água em Angola, anunciou hoje o chefe de departamento de fiscalização técnica e qualidade de serviço de electricidade, Adérito Manico.