Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

14 Fevereiro de 2020 | 08h50 - Actualizado em 14 Fevereiro de 2020 | 11h40

Itália: Angola eleita para Conselho de Emolumentos do FIDA

Roma - Angola foi eleita quarta-feira, em Roma, membro do Conselho de Emolumentos do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O Conselho de Emolumentos é o órgão subsidiário do Conselho de Governadores que fiscaliza as acções desta Agência das Nações Unidas.

No evento, a delegação angolana foi encabeçada pela representante permanente de Angola junto do FIDA, embaixadora Fátima Jardim, em representação do ministro da Agricultura, António de Assis.

Na sua intervenção, a diplomata angolana sublinhou a importância e a responsabilidade do FIDA no reforço de mecanismos de apoio aos seus membros, para atingir a meta “fome zero” até 2030, o combate à pobreza e o desenvolvimento técnico e sustentável.

A embaixadora exortou ainda o reforço do apoio à resiliência dos países e a necessidade de se encontrarem mecanismos que possam superar as dificuldades decorrentes das alterações climáticas, dos desastres naturais e de todos os obstáculos que impedem o seu desenvolvimento.

Enfatizou o compromisso do FIDA de eliminar a pobreza no meio rural e o trabalho que leva a cabo para promover a aquisição de recursos para aumentar as suas receitas, o incremento das contribuições de várias fontes do sector privado, necessárias para apoiar os jovens, assim como o desenvolvimento local e a melhoria da qualidade de vida das comunidades.

O fórum debateu, também, a situação dos camponeses e dos povos indígenas, que clamam pelo respeito às diferenças e o direito a terra, aos recursos naturais, a soberania ética e cultural.

Os delegados consideraram que o FIDA pode ser mais eficaz para disponibilizar apoio aos países através da diversificação e ampliação das fontes de financiamento, estabelecendo  parcerias públicas e privadas.

Em Angola, onde dois terços da população, na sua maioria mulheres e jovens, estão empenhados na agricultura, os empréstimos do FIDA apoiam o esforço do Governo para melhorar a segurança alimentar e reconstruir os meios de subsistência da população rural pobre, através do desenvolvimento rural e agrícola.

O Conselho de Governadores, que analisou também o refinanciamento do FIDA e a mobilização de fundos para as pessoas pobres do mundo, foi aberto pelo presidente do FIDA, Gilbert Houngbo.

Também discursaram na sessão de abertura o presidente da República do Mali, Ibrahim Boubacar Keita, o director-geral da FAO, Qu Dongyu, o director-executivo adjunto do PAM, Amir Abdulla, o ministro da Agricultura da Tanzânia, Japhet Hasunga, e o ministro da Economia e Finanças da República Italiana, Roberto Gualtieri.


 

Assuntos Agricultura   Diplomacia  

Leia também
  • 13/02/2020 19:28:08

    Administração do Sumbe distribui semente de milho

    Sumbe - A administração municipal do Sumbe, província do Cuanza Sul, distribuiu hoje, nas comunas da Gangula, Gungo e Quicombo, uma tonelada e 600 quilogramas de semente de milho da variedade Cateta, no âmbito do programa de aumento da produção e combate à pobreza.

  • 13/02/2020 15:25:32

    IDF defende aprovação da carreira do fiscal florestal

    Huambo - O director-geral do Instituto de Desenvolvimento Florestal, Simão Zau, defendeu esta quinta-feira, no Huambo, a necessidade da aprovação da carreira profissional do fiscal florestal, para permitir o combate mais eficaz da exploração ilegal de madeira no país.

  • 12/02/2020 12:06:52

    Embaixadora angolana defende programas para mulher

    Roma - A representante permanente de Angola junto do Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA), Fátima Jardim, defendeu segunda-feira, em Roma, a criação de programas que priorizem a mulher e a juventude e assegurem o desenvolvimento agrícola sustentável.