Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Internacional

22 Maio de 2020 | 22h01 - Actualizado em 22 Maio de 2020 | 21h46

China publica ensaio clínico da primeira vacina contra Covid-19

Londres - A China publicou o ensaio clínico da primeira vacina contra a Covid-19 qualificada pelos especialistas de segura, bem tolerada pelos pacientes e capaz de gerar uma resposta imune contra o novo coronavírus, indicou a publicação médica The Lancet.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da China

Foto: Divulgação

O ensaio clínico foi levado a cabo pelo Instituto de Biotecnologia de Pequim com recurso a um universo de 108 adultos e depois de 28 dias conseguiu chegar a resultados prometedores, de acordo com o citado pelo jornal El Mundo: a vacina produz anticorpos e resposta das células T contra o vírus.

Ainda assim, esta é apenas a primeira fase do estudo, sendo necessário agora comprovar que a vacina e a resposta imunológica, que produz, protege eficazmente contra a infecção gerada pelo SARS-CoV-2, resultados que só poderão ser avaliados em seis meses.

"O ensaio demonstra que uma dose única da nova vacina para a Covid-19 produz anticorpos específicos para o vírus e células T em 14 dias, o que a torna numa potencial candidata para uma investigação mais a fundo", indicou o investigador Wei Chen, responsável pelo estudo.

O cientista esclarece, porém, que é necessário ser-se prudente dado que os desafios do desenvolvimento desta vacina "não têm precedentes" e "a capacidade de desencadear respostas imunológicas não significa necessariamente que a vacina proteja as pessoas da Covid-19".

"Estes resultados dão uma visão prometedora para o desenvolvimento da vacina, mas ainda estamos longe do momento em que estará disponível no mercado para todos", terminou.

Assuntos Internacional  

Leia também