Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

27 Setembro de 2020 | 22h38 - Actualizado em 27 Setembro de 2020 | 22h38

O "adeus" anunciado de Pedrito dá o primeiro passo

Luanda- O músico Pedrito deu sábado um passo largo para a despedida dos palcos, com uma actução sublime no Show do Mês Live, inserido no ciclo de concertos agendados para o "adeus" definitivo.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Pedrito no seu adeus a música no Show do Mês

Foto: Cedida

O show enquadra-se nos vários que o músico pretende fazer até ao final de 2020 para despedir-se, mas tendo em conta as restrições impostas pela pandemia, poderá ter sido a última vez do maior romântico do music hall angolano em palco.

Mesmo como 50 anos de carreira, que também foram comemorados, Pedrito parece não ter mudado muito, continua vaidoso, romântico e um bom “conversador”. A diferença de realce, entre o ontem e hoje, está apenas na maturidade.

Vestido de branco, desde as calças ao casaco, inclusive o ténis, Pedrito subiu pela terceira vez ao palco do Show do Mês, agora num conceito diferente, para dar início, oficialmente, a sua caminhada de despedida. 

Começou por enaltecer Deus, com os temas “Aleluia” e “Falar com Jesus”, seguindo para o romantismo, com interpretação de “Eu e você”, “Mu Ngongo”, “Farrapo triste”, “Canarinho” e “Leonor”.

Entre contos sobre as suas vivências e as histórias de cada música, Pedrito interpretou, de forma seguida, quatro dos seus maiores hits, designadamente “Realidade”, “Avó Bea”, “Kilumba” e “Desespero”, naquele que provavelmente foi o momento mais alto do show.

Momento mais alto porque não teve momentos baixos, apenas altos, com várias recordações de meio século de sucessos.

Apesar de ser um romântico de “carteira”, Pedrito também tem músicas de intervenção social e política, passando por temas como “Comandante Jika”, “Militante” e ainda canções da sua aldeia, como “Banda Mulundu”.

“Raio de Amor, “Massoxi”, “Senhor Director”, “Cantico” da Paz” e “Nzala Ya Tula” fecharam o último bloco do concerto, que teve como convidados o Duo Canhoto.

As histórias

Durante o concerto, de cerca de duas horas e meia, Pedrito contou várias histórias sobre a sua trajectória. Explicou que a música do primeiro Top Dos Mais Queridos que venceu, “Realidade”, em 1982, foi dada por uma amiga que escreveu no mesmo ano.

Falou também dos obstáculos impostos por causa da canção “Senhor director”, contando que em algumas actividades corporativas não o deixavam actuar por conta da mesma canção.

 “Certo dia eu e o Carlos Burity fomos a uma actividade. O Carlos passou pelos seguranças e entrou, na minha vez disseram que estava proibido de entrar naquele evento. O responsável disse que falei mal dos directores. Lá o Carlos teve que regressar e pedir para que eu entrasse, dizendo que depende mim para regressar a casa, uma vez que dependia da minha boleia. Contra a sua vontade, o responsável deixou-me entrar, mas fazendo uma chamada de atenção sobre a mesma música. Eu, em jeito de bajulação, disse que na empresa dele era diferente e que o tema não se reflectia no funcionamento da sua instituição”, contou o músico, muito bem-humorado.

Trajectória artística

José Manuel Pedrinho" Pedrito" nasceu em Icolo e Bengo no dia 1 de Outubro de 1954 e iniciou a sua estreia musical no Ngola Cine, em 1969.

Pedrito pertenceu ao coro da Igreja São Domingos, em 1973, altura em que foi convidado a integrar o célebre trio “Gambuzinos”.

Pedrito efectuou a sua primeira digressão artística internacional, em 1982, por seis países do leste da Europa e Portugal, com o grupo musical “Jovens do Prenda”.

Em Janeiro de 1983, deslocou-se ao Brasil com o grupo “Semba Tropical”, integrado no projecto “Canto Livre de Angola”.

Em 1988, volta a fazer uma digressão ainda com os “Jovens do Prenda”, percorrendo Portugal, França, Inglaterra e Escócia.

Pedrito venceu o primeiro lugar do “Top dos mais queridos” em 1982, realizado pela Rádio Nacional de Angola (RNA), repetindo o feito nas edições de 1984 e 1986, tendo conquistado duas vezes o segundo lugar.

As várias premiações no “Top dos mais queridos” valeram-lhe a distinção com três diplomas de mérito, no dia cinco de Outubro de 2012, num acto que assinalou a homenagem aos vencedores do “Top dos mais queridos” ao longo dos trinta anos de existência.

Discos

Além de vários singles, com destaque para “Nga lenga cubata”, “Mazi”, “Farrapo triste”, Pedrito conta com três álbuns editados: “Aleluia” 1994, “Avó Bêa” 2003 e “Mensagens de amor” 2008.

Assuntos Angola  

Leia também
  • 27/09/2020 18:03:25

    SSP proporciona viagem aos anos 90

    Luanda - O grupo SSP promoveu, na tarde deste domingo, uma viagem ao passado recente do hip hop angolano, levando a legião de fãs espalhados pelo país e exterior a relembrar os anos 90.

  • 27/09/2020 10:19:40

    Portugal: Filipe Zau e Filipe Mukenga lançam novo cd e um livro

    Lisboa (Da correspondente) - Os compositores angolanos Filipe Zau e Filipe Mukenga lançaram, no sábado, em Lisboa, um disco intitulado "Canto Terceiro da Sereia: O encanto" e o livro "Marítimos".

  • 24/09/2020 21:19:22

    Pedrito faz show de despedida

    Luanda - Depois de actuar duas vezes no âmbito do "Show do Mês", em 2014 e 2016, o músico angolano "Pedrito" volta aos palcos, este sábado, como figura de cartaz deste projecto cultural.