Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

06 Setembro de 2017 | 18h10 - Actualizado em 06 Setembro de 2017 | 18h09

Eleições/2017: Concorrentes

Luanda - Cinco partidos políticos e uma coligação concorreram às quartas eleições gerais angolanas, cujos resultados definitivos, hoje divulgados oficialmente, colocaram o MPLA na primeira posição, com maioria qualificada.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeiras de forças políticas concorrentes nas eleições de 2017

Foto: ANGOP

Trata-se dos partidos MPLA (Movimento Popular de Libertação de Angola), UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola), FNLA (Frente Nacional de Libertação de Angola), PRS (Partido de Renovação Social) e APN (Aliança Patriótica Nacional), a que se junta a CASA-CE (Convergência Ampla de Salvação de Angola-Coligação Eleitoral).

MPLA, UNITA, FNLA, PRS e CASA-CE já participaram em eleições passadas, enquanto o único estreante é o partido APN.

Principal força política angolana, o MPLA tinha na Assembleia Nacional, no mandato findo, 175 lugares (71,84%), resultantes do pleito de 2012.

Nesse ano, a UNITA, a segunda força, alcançou 32 assentos (18,66%), enquanto a CASA-CE obteve oito cadeiras (6,00%) e alcançou o terceiro posto.

Para trás ficara o PRS, com três deputados apenas (1,70%) e a FNLA, com dois (1,13%).      

Nas eleições de 2008, o MPLA contabilizara 191 deputados, enquanto os restantes lugares tiveram sido repartidos pela UNITA (16), PRS (oito), FNLA (três) e a ND-UE (Nova Democracia - União Eleitoral) (dois).

Já nas primeiras eleições na história do país, em 1992, o MPLA conquistara 129 deputados, contra 70 da UNITA e cinco da FNLA. As outras formações mais votadas foram o PRS (seis) e o Partido Liberal Democrático (PLDA), com três assentos no Parlamento.

O espectro político angolano compreende 11 partidos políticos legalizados. Quatro deles – MPLA, UNITA, FNLA e PRS – tinham representação na Assembleia Nacional cessante. O partido Aliança Patriótica Nacional (APN) é o mais novo da lista e não estava representado naquele órgão.

O Parlamento é integrado, ainda, pela CASA-CE, igualmente a única coligação partidária legalizada e integrada por seis formações políticas. São elas: Partido de Aliança Livre de Maioria Angolana (PALMA), Partido de Apoio para a Democracia e o Desenvolvimento de Angola - Aliança Patriótica (PADDA-AP), Partido Pacífico Angolano (PPA) e Partido Nacional de Salvação de Angola (PNSA), Partido Democrático para o Progresso de Aliança Nacional de Angola (PDP-ANA) e o Bloco Democrático (BD).

Em 2013, o Tribunal Constitucional ordenou a extinção de 48 partidos por não terem concorrido a eleições por duas vezes consecutivas e 19 por não terem alcançado 0,5 por cento dos votos validamente expressos nas eleições gerais de 2012, conforme decorre da Lei dos Partidos Políticos.

Assuntos Eleições   Política  

Leia também
  • 21/03/2018 19:56:39

    Militantes do MPLA orientados a ser mais dinâmicos

    Huambo - Os militantes do MPLA no Huambo foram, hoje, orientados a ser mais dinâmicos, indo ao encontro dos cidadãos a quem devem transmitir as linhas de força do partido constantes do regulamento e estatuto.

  • 21/03/2018 19:43:14

    João Lourenço já está em Luanda

    Luanda - O Presidente da República, João Lourenço, regressou na noite desta quarta-feira a Luanda, proveniente de Kigali, República do Rwanda, onde rubricou, na companhia de 53 líderes africanos, o acordo para o lançamento da Zona de Livre Comércio Continental (ZCLC), no âmbito da X Cimeira Extraordinária dos Chefes de Estado e de Governo da União Africana (UA).

  • 21/03/2018 13:12:37

    Líderes juvenis angolanos formados em Moçambique

    Luanda - Vinte jovens angolanos de diversas organizações da sociedade civil, participam em Maputo, Moçambique, na quinta edição de formação de jovens futuros líderes africanos (YALI), evento que entra hoje, quarta-feira, no terceiro dia de actividades.

  • 21/03/2018 12:17:48

    Político considera fundamental conhecimento da história

    Lubango - A necessidade dos jovens conhecerem a história de Angola, incluindo as principais batalhas para a independência nacional e conquista da paz, foi defendida na terça-feira, na província da Huíla, pelo segundo secretário municipal do MPLA no Lubango, Augusto Kwanga.