Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

31 Dezembro de 2019 | 14h11 - Actualizado em 02 Janeiro de 2020 | 10h06

Mais de 24 mil ex-militares beneficiam de ajuda da Caixa Social

Luanda - O Ministério da Defesa Nacional está a implementar, por via da Caixa Social das Forças Armadas Angolanas (FAA), um plano estratégico e de negócios que prevê beneficiar mais de 24 mil ex-militares e seus dependentes.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

1 / 1

Ministro da Defesa, Salviano Serqueira

Foto: Francisco Miudo

A aposta visa tornar a Caixa Social das FAA menos dependente do Orçamento Geral do Estado (OGE), elevar a capacidade de gerar renda extra para as famílias e emprego para os jovens dependentes dos ex-militares.

A propósito, o ministro da Defesa Nacional, Salviano Sequeira, sublinhou hoje (terça-feira) que o plano estratégico, aprovado pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, tem em vista atrair investidores nacionais e estrangeiros em áreas como a agricultura, indústria, turismo, imobiliário, saúde e energias renováveis.

Ao falar na cerimónia de cumprimento de fim de ano do seu pelouro, Salviano Sequeira afirmou que, no decurso do ano de 2019, foram inseridos no sistema de pagamentos da Caixa Social das FAA nove mil 108 beneficiários, numa altura em que a instituição conta com um total de 72 mil e 259 pensionistas.

Relativamente aos compromissos internacionais, o governante deu ênfase às acções de fortalecimento da cooperação no domínio da defesa e segurança com os países vizinhos e os parceiros estratégicos de Angola.

Realçou o envolvimento das FAA na Missão de Ajuda Humanitária à República de Moçambique, atingida pelo Ciclone Idai, “missão cumprida com êxito”.

Em relação às indústrias de defesa, disse que foram realizados estudos para a implementação de vários projectos, com a finalidade de dar suporte logístico aos órgãos de defesa e segurança e para atender, numa primeira fase, ao mercado interno.

O mesmo acontece, segundo o governante, com as fazendas agro-industriais, que já começaram a apresentar resultados, mas urge diversificar e aumentar a produção.

Defendeu a necessidade de se reforçar a consciência de Defesa Nacional, que não é só tarefa dos militares, mas também de todos os cidadãos, indicando que, neste capítulo, o Instituto de Defesa Nacional tem um papel importante.

Leia também