Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

24 Outubro de 2019 | 04h31 - Actualizado em 24 Outubro de 2019 | 01h11

PR discursa hoje na Cimeira Rússia-África

Sochi (Dos enviados especiais) - A cidade de Sochi acolhe nesta quinta-feira a primeira Cimeira de Chefes de Estado e de Governo Rússia-Africa. O Presidente angolano, João Lourenço, tem em agenda um discurso durante as sessões de trabalho.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

À semelhança do sucedido no Fórum Económico Rússia-África, a Cúpula será aberta com o discurso do Presidente anfitrião, Vladimir Putin.

Quem também vai intervir na cerimónia oficial de abertura é o Presidente do Egipto, Abdul Fattah Al Sisi, que vai falar para uma plateia de quase 50 líderes africanos.  

A Cimeira busca discutir estratégias para o começo de uma nova página na cooperação multilateral entre África e Rússia, um dos principais investidores no continente.

Durante os trabalhos, os líderes africanos e convidados vão aflorar questões candentes da actualidade, focados em soluções viáveis e alternativas para potenciar África.

Trata-se de uma grande aposta do Governo russo, que procura consolidar as suas zonas de influência no continente e aumentar os seus investimentos para continuar a competir, em pé de igualdade, com a China e os EUA.

Nos últimos anos, a potência europeia tem assentado a sua cooperação em várias áreas de especialização, com realce para os sectores da energia, segurança e diplomacia.

No quadro da sua política externa, a Rússia fez aumentar a balança comercial com os países de África, passando de USS 5,7 biliões, em 2009, para USD 20,4 biliões, em 2018, números ainda assim inferiores ao investimento chinês.

Dados apontam que só no sector da construção, a China investiu em África, desde 2005, USD 2 triliões, deixando Moscovo como parceiro alternativo, sobretudo para o apoio diplomático no Conselho de Segurança da ONU.

A Rússia consolida a sua cooperação com os países africanos por via de uma aposta forte no sector de energia, em que detém larga experiência, além dos investimentos nas áreas de petróleo e gás, e dos conhecimentos nucleares.

Oferece igualmente cooperação militar e armas relativamente baratas a países com bolsas pequenas, mas com grandes problemas de segurança.

À semelhança das outras potências mundiais, a Rússia está de olho em África, que se torna cada vez mais importante pelo crescimento da sua população.

Estimativas indicam que a população africana deve duplicar até 2050 e a economia deverá expandir-se significativamente ao lado do seu consumo de energia.

Entretanto, à margem do evento, o Chefe de Estado angolano, João Lourenço, tem em agenda reuniões de trabalho com alguns homólogos de África, bem como será recebido pelo Presidente da Rússia, Vladimir Putin.

A Cimeira foi antecedida de um Fórum Económico Rússia-Africa, que decorre desde quarta-feira com mais de três mil empresários convidados.

Os dois eventos terminam ao final da tarde desta quinta-feira, pelo que se espera a produção de comunicado final conjunto.

Leia também
  • 23/10/2019 12:18:40

    Mais de 11 mil passaportes por levantar no SME

    Luanda - Mais de 11 mil e 500 passaportes estão por levantar nos postos de atendimento do país, situação que levou o Serviço de Migração e Estrangeiros (SME) a apelar os utentes para o levantamento desses documentos.

  • 23/10/2019 11:25:42

    Aberto Fórum Económico Rússia-África

    Sochi (Dos enviados especiais) - O Fórum Económico Rússia-África abriu na manhã desta quarta-feira, no Parque da Ciência e Artes "Sirius", em Sochi, com dois discursos centrados nos desafios da parceria russo-africana e nas novas perspectivas da cooperação.

  • 22/10/2019 20:57:02

    Angola-Moçambique: Relações económicas devem subir - Embaixador

    Maputo - O antigo embaixador de Angola em Moçambique, Brito Sozinho, defendeu segunda-feira, em Maputo, que as relações económicas, comerciais e empresariais entre os dois países devem atingir o nível de excelência dos laços político-diplomáticos.