Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

23 Março de 2020 | 23h09 - Actualizado em 23 Março de 2020 | 23h15

Portugal: Nacionalista angolano morre em Lisboa

Lisboa (Da correspondente ) - O médico e nacionalista angolano Edmundo Rocha morreu neste domingo, em Lisboa, vítima de doença.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

O médico, que tinha mais de 85 anos de idade, nasceu em Porto Amboim, província do Cuanza Sul.

Fez a instrução primária na sua terra natal e iniciou os seus estudos secundários no ex-Liceu Nacional Salvador Correia, em Luanda, e também em Coimbra.

Com 21 anos de idade licenciou-se em Medicina e especializou-se em Pediatria e em Imuno-Alergologia. Mais tarde, na Argélia, doutorou-se em Pediatria.

Em Setembro de 1961, participou da instalação do MPLA em Leopoldville, hoje Kinshasa, capital da República Democrática do Congo, e exerceu a actividade médica no Corpo Voluntário Angolano de Assistência aos Refugiados (CVAAR).

Em Lisboa, foi presidente da Casa de Angola e fez parte da direcção da revista cultural Afro-Letras.

 

Assuntos Mortes  

Leia também
  • 12/03/2020 18:42:29

    Agente da polícia acusado de matar cidadão

    Uíge - Um jovem de 27 anos de idade foi morto acidentalmente hoje, quinta-feira, na província do Uíge, após ser atingido por um disparo de arma de fogo, presumivelmente efectuado por um agente da Polícia Nacional.

  • 12/03/2020 12:01:19

    Acidentes de viação provocam três mortos em sete dias

    Uíge - Três pessoas morreram e seis feridos é o resultado de cinco acidentes de viação ocorridos na província do Uíge, nos últimos sete dias.

  • 20/02/2020 20:58:08

    Mãe mata filho por suposta práctica de feitiçaria

    Uíge - Uma criança de um ano de idade, acusada de feitiçaria, foi morta pela progenitora, no município de Cangola, província do Uíge, cortejado-a com uma catana, infomou a polícia.