Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

09 Agosto de 2020 | 15h24 - Actualizado em 09 Agosto de 2020 | 15h23

Huíla: Mais de 800 doentes com tuberculose abandonam tratamento

Lubango - Oitocentos e 30 pacientes com tuberculose, de um total de 2.637 casos diagnosticados como positivos durante o primeiro semestre do corrente ano, abandonaram o tratamento em unidades sanitárias públicas na província da Huíla.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Doentes com Tuberculose

Foto: Leonaldo Castro

Comparado ao igual período de 2019, houve um aumento de 499 pacientes que desistiram da terapia, assim como foram registados 200 casos positivos a mais em relação ao período homólogo.

Segundo o chefe de departamento provincial de saúde pública e controlo de endemias, na Huíla, José Hélio Chiangalala, os pacientes têm como preferência optar pelo tratamento tradicional, em detrimento dos cuidados da medicina convencional, sob pretexto de ser demorada (de seis meses a um ano).

O hospital sanatório do Lubango notificou 463 pacientes que abandonaram o tratamento, Chibia 77, Gambos 69, Caluquembe 55, Caconda 52, Quipungo 47, Matala 36, Humpata 21, Jamba quatro, Cacula quatro e Quilengues com apenas dois pacientes.

Face a estes números, o responsável manifestou-se preocupado, por ser uma atitude frequente, acabando depois, muito deles, de retornarem aos hospitais para o tratamento, por verem a sua situação a se agravar, em função do insucesso com a medicação tradicional.

Por outro lado, admitiu haver rotura no stock de medicamentos para o tratamento da tuberculose, mas há promessas do gabinete provincial de que será suprida ainda nesta quinzena de Agosto.

Disse que está em curso a implementação em 35 novas unidades o diagnóstico e tratamento da tuberculose, que inclui a formação de técnicos, visando conferir a qualidade da prestação de serviços aos doentes, quer internos quer em regime ambulatório e, consequentemente, evitar a propagação da doença na região.

Leia também