Quarta, 27 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

MPLA intensifica programa de educação ambiental


27 Novembro de 2019 | 16h45 - Actualizado em 27 Novembro de 2019 | 16h45

1º secretário do Comité de Especialidade dos Ambientalistas e Ecologistas do MPLA, Francisco Fato

Foto: Aurélio Janeiro



Huambo - O comité de especialidade dos Ambientalistas e Ecologistas do MPLA na província do Huambo vai intensificar, nos próximos tempos, o programa de educação ambiental, através de acções de sensibilização sobre as boas práticas de conservação da natureza e uso sustentável dos recursos naturais.


O facto foi manifestado hoje, quarta-feira, à ANGOP, pelo 1º secretário deste comité de especialidade, Felisberto Francisco Cassoma Fato, realçando a necessidade da criação de métodos mais eficazes e adequados que garantam maior divulgação e fiscalização das actividades ambientais.

Referiu que a realização de sessões de estudos, debates e divulgação de teses, projectos e os planos de natureza política, ideológica e ambiental e a elaboração de uma proposta técnica, constam igualmente das estratégias.

Felisberto Francisco Cassoma Fato apontou também a realização de consultas junto das escolas nos mais vários sub-sistemas de ensino, para abordagem da necessidade de se introduzir ou reforçar os conteúdos do ambiente, no âmbito dos desafios da luta pela transformação do Huambo na primeira Capital Ecológica de Angola.

Neste contexto, precisou que o comité de especialidade dos Ambientalistas e Ecologistas do MPLA compromete-se em formar jovens activistas para elevação do Huambo à Capital Ecológica, cujo êxito exige, acima de tudo, um amplo trabalho entre os sectores que operam na vertente económica, social e ambiental.

Enfatizou que o uso de tecnologias sustentáveis, tanto no que toca à implementação de meios capazes de minimizar a emissão carbónica, como em material de escritórios, limitando-se no uso de correios electrónicos ao invés da utilização indevida do papel e do saco plástico, constituem práticas importantes.

Constam ainda desta estratégia, segundo o responsável, a realização de campanhas de limpeza junto das comunidades, participação directa e indirecta em debates radiofónicos sobre a problemática ambiental, promoção de palestras e encontros de auscultação nas instituições de ensino, além de auxiliar as autoridades na implementação de medidas para combater a proliferação anárquica de pontos de lavagem de carros.

A província do Huambo, no planalto central de Angola, luta há sete anos para se transformar na primeira Cidade Ecológica de Angola, com olhos postos na educação e protecção ambiental, bem como na definição e implementação de projectos com impacto directo no ambiente.

Além deste comité de especialidade, o MPLA conta, nesta região do país, onde nas últimas eleições de 23 de Agosto de 2017, obteve 347 mil e 763 votos, que lhe permitiu eleger três, dos cinco deputados possíveis, conta igualmente com o dos Economistas, Empresários e Instituições Não Financeiras, dos Psicólogos e Sociólogos, dos Juristas, dos Arquitectos, dos Médicos e Enfermeiros, dos Jornalistas, dos Engenheiros Agrónomos, dentre outros.