Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Autoridades dão início à plantação de 45 mil árvores


23 Outubro de 2020 | 20h41 - Actualizado em 23 Outubro de 2020 | 20h40

Alguns espaços verdade da cidade da cidade do Huambo Foto: Júlio Vilinga

Huambo - O Governo do Huambo procedeu hoje, sexta-feira, à plantação de 45 mil árvores das espécies casuarina, ficus, acácias e eucalipto, nos 11 municípios da província, no quadro das acções para a conquista do título de capital ecológica de Angola.


A campanha de arborização, denominada “Huambo capital ecológica, plantemos pela sustentabilidade”, foi lançada pela governadora da província, Lotti Nolika, e vai decorrer até Dezembro do ano em curso.

Em declarações à imprensa, Lotti Nolika reafirmou o compromisso do Governo de continuar a lutar pela concretização do desafio, através da aposta em acções que concorram para a melhoria do meio ambiente nesta circunscrição do território nacional.

Acrescentou que o alcance deste feito constitui uma das prioridades da sua governação, por considerar o ambiente um dos factores indispensáveis para a garantia do bem-estar dos cidadãos.

Neste sentido, a governante prometeu trabalhar com as instituições de ensino  e a sociedade, em geral, no sentido de se alcançar os objectivos preconizados.

Na ocasião, a responsável considerou fundamental o contributo e a  colaboração dos meios de comunicação social e líderes comunitários na sensibilização da sociedade sobre a necessidade da protecção das árvores, em função da sua importância para a conservação do meio ambiente e na saúde humana.

Por sua vez, o director do gabinete do  ambiente e serviços comunitários do Governo do Huambo, Osvaldo Pakissi, fez saber que, durante o primeiro dia da campanha, foram plantadas mil mudas de causarina, acácias e ficus, no perímetro entre a passagem de nível do bairro do São Pedro até ao rio do Lufefena, arredores desta cidade.

Ainda de acordo com Osvaldo Pakissi, neste perímetro serão plantadas, nos próximos dias, outras duas mil árvores das mesmas espécies, fundamentalmente paisagísticas, com o objectivo de melhorar o aspecto da cidade.

Já em relação às demais localidades da província, explicou que a campanha de arborização será desenvolvida com a inclusão do eucalipto, numa forma sistemática, de acordo com a configuração urbana, a estrutura e a caracterização do terreno.

Situada no Planalto Central de Angola, a província “luta” para transformar-se na Cidade Ecológica do país, através da aposta na educação e protecção ambiental, bem como na definição e implementação de projectos com impacto directo no ambiente.

Com uma extensão territorial de 35 mil e 771 quilómetros quadrados, vivem nesta região pelo menos dois milhões e 519 mil habitantes.