Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Resenha: Análise desportiva marca semana


09 Novembro de 2019 | 16h58 - Actualizado em 09 Novembro de 2019 | 16h58

Luanda - A realização do Conselho Consultivo do Ministério da Juventude e Desportos esteve no centro das atenções da semana finda, acto em que se ouvirem vozes de dirigentes sobre os mais candentes problemas da classe.


Um dos assuntos levantados foi o basquetebol, que passa por uma crise já mais vista, que levou à renúncia ao cargo de presidente de direcção por parte de Hélder Cruz “Maneda”.

Neste momento sem uma direcção com cunho jurídico, por renunciarem também mais cinco membros, dos 11,  os agentes desportivos aconselham a constituição de uma comissão ad hoc para assegurar o “barco” até o fim do mandato.

Uma das vozes autorizadas a falar foi de Gustavo da Conceição, que defende um diálogo franco e aberto para que a modalidade saia da actual crise de gestão.

Antigo presidente da FAB e ex-basquetebolista, Gustavo da Conceição lembrou que o país tem uma grande responsabilidade em África e no mundo, pela boa trajectória de anos de competição e organização.

Em função da crise da modalidade, sobretudo financeira e organizativa, o campeonato nacional sénior masculino continua sem data para o seu arranque, e por isso socorreu-se ao provincial de Luanda (uma organização da associação provincial), que já não se disputava desde 2016.

Durante o Conselho Consultivo ficou-se a saber que o Governo estuda a efectivação do desporto especial olímpico, que é  um movimento que decorre em todo mundo há mais de 50 anos e que Angola pretende implementar com base nas metas estabelecidas nas estratégias escolar e desportiva.

Depois de muitas incertezas, no acto veio ainda a confirmação de Pedro Gonçalves como seleccionador nacional dos Palancas Negras, facto anunciado pelo presidente da FAF, Artur Almeida e Silva. O português não perdeu tempo e convocou a selecção nacional para a recepção à Gâmbia, onde a novidade é o jovem guarda-redes Nsesani, da Académica do Lobito.

Outra boa nova conhecida a partir deste evento foi que o médico angolano João Mulima tornou-se quadro da FIFA, sendo o primeiro nacional a chegar a exercer essa função.

Ainda sobre o futebol, enquanto os sub-17 regressam ao país depois da participação inédita no mundial do Brasil, onde atingiram os oitavos-de-final, era convocada os sub-20 para a taça Cosafa, a decorrer em Dezembro, na Zâmbia.

A nível do desporto adaptado, Angola está a participar no Campeonato do Mundo, nos Emirados Árabes Unidos, com o objectivo de obter os mínimos para os Jogos Paralímpicos do Japão "Tóquio'2020".

Já no automobilismo,  o vice-presidente da República, Bornito de Sousa, encorajou o piloto Rui Andrade a empenhar-se com motivação na sua carreira para, no futuro, participar na corrida de Fórmula 1.

Em Janeiro de 2020, o corredor vai estrear-se na fórmula 3, na Nova Zelândia.

Considerado o mais promissor da actualidade, Rui Andrade representa a continuidade da luta para que, em médio prazo, o país possa contar com um piloto no mais avançado escalão do automobilismo, depois das tentativas fracassadas de Luís Sá, Ricardo Teixeira e Duarte Ferreira.