Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Conselho Geral avalia direcção "tricolor"


05 Setembro de 2019 | 20h24 - Actualizado em 05 Setembro de 2019 | 20h24

Tomás Faria - Presidente do Petro Atlético de Luanda

Foto: Francisco Miudo



Luanda - A reunião do Conselho Geral para avaliar o estado actual do Petro de Luanda e o desempenho da sua direcção, inicialmente marcada para esta quinta-feira, na capital, foi adiada para dia 18 próximo.


A Angop apurou de fonte do clube do “eixo-viário”que o adiamento se deveu a ausência no país de alguns integrantes do Conselho Geral, constituído por antigos presidentes de direcção, presidentes honorários e ex-presidente da Mesa da Assembleia-geral.

O facto da equipa sénior de futebol estar há dez anos sem lograr o título do Girabola, as constantes mudanças na direcção do departamento de futebol é o principal motivo da convocação do “conclave” da colectividade petrolífera.

Esta situação agravou-se com o mau início da presente temporada futebolística. Sob liderança do espanhol Toni Cosano, o Petro consentiu um empate (2-2) na estreia diante do Williet de Benguela, e derrota (0-1) frente ao Desportivo da Huíla.

Tendo Tomás Faria como presidente de direcção desde 2014, o clube Atlético Petróleos de Luanda foi fundado a 14 de Janeiro de 1980. Movimenta o andebol, basquetebol, ciclismo, futebol, ginástica, vela, voleibol, karaté-dó, atletismo e hóquei em patins.