Sábado, 28 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Andebol sem quadras oficiais no Bengo


13 Setembro de 2020 | 14h56 - Actualizado em 13 Setembro de 2020 | 14h52

Partida de andebol no Bengo Foto: Cortesia de Mário Francisco

Luanda - Com uma população praticante de 300 atletas, dos quais 110 federados, a província do Bengo vive dificuldades para desenvolver projectos de massificação ao nível do andebol, por falta de pavilhões multiúsos.


A associação local controla quatro clubes, nomeadamente Domant FC, Poliandra FC, Mandjel Sport e Cust Sport, além dos núcleos Amigos do Panguila e Macambriz, cujos projectos para evolução esbarram em tal carência.

Esta constatação é do presidente da associação provincial da modalidade, Mandjel Alberto Zua, em declarações à Angop, sábado, a propósito do estado de situação deste desporto 13 vezes campeão continental com a selecção sénior feminina.

O responsável lamentou o facto de as poucas quadras existentes não possuírem as dimensões adequadas.

Considera que o surgimento de recintos polidesportivos proporcionaria, também, a evolução de outros desportos de sala inexistentes na região como o basquetebol, voleibol, hóquei em patins, futsal e ténis de mesa.

Para ele, a carência de quadras oficiais compromete, inclusive, eventual candidatura da província do Bengo à organização dos  jogos zonais do desporto escolar, cujo regulamento estipula rotatividade quanto ao anfitrião.

Eleito este ano para o ciclo olímpico 2020/24, Mandjel Alberto Zua encorajou os empresários na região a uma maior aposta no sector, sublinhando que a província possui jovens com aptidões para o desenvolvimento de várias actividades desportivas.  

Existe no Bengo cinco associações desportivas, nomeadamente de futebol, andebol, atletismo, judo e jiu-jitsu.