Sexta, 04 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Atletismo precisa de novo modelo de gestão


08 Setembro de 2020 | 19h39 - Actualizado em 08 Setembro de 2020 | 20h29

Candidato à presidência da FAA, Erlindo Lindador Foto: Rosário dos Santos

Luanda - O atletismo nacional carece de novos modelos de gestão administrativa, financeira e desportiva, para sair do estado crítico em que se está mergulhado.


Segundo o candidato à presidencia da Federação Angolana de Atletismo (FAA), Ernesto Lidador, Angola deve explorar mais a cooperação internacional, criar um conselho técnico e desportivo, bem como o aumento de provas nacionais, para melhorar a qualidade técnica dos atletas e trazer novos praticantes.

O antigo fundista angolano falava à imprensa, durante a apresentação da sua intenção de candidatura ao cadeirão máximo FAA, para o quadriénio 2020-24, cuja data de eleições ainda não é conhecida.

Sob o lema “ Pela revitalização e relançamento do atletismo nacional”, o antigo vice-presidente do órgão reitor disse nunca ter estado ausente da modalidade, apesar de nos últimos anos ter estado a exercer funções no executivo.

Sem apresentar os demais integrantes do futuro elenco, Erlindo Lidador promete trabalhar mais com as associações provinciais históricas da modalidade, que mesmo com muitas dificuldades, limitações financeiras e técnicas fazem um trabalho que merece maior atenção.

Informou ter pretensão de contar, no seu grupo de trabalho, com pessoas comprometidas e dedicadas.

 Questionado sobre o surgimento de um número considerado de candidatos ao cargo, o aspirante disse ser normal que tal situação ocorra, pós mostra o mau momento que a modalidade vive, mas tambem espelha a democracia em prol do desporto.

Ao serviço do atletismo nacional desde 1976, por via da Secretaria de Estado e Desporto, o antigo atleta terminou a carreira desportiva em 1989, depois de ter representado as equipas do Petro de Luanda, Dinamos e Ferrovia como velocista dos 100, 200 e 400 metros.

No dirigismo desportivo exerceu funções na Associação Provincial de Luanda como vogal de direcção, bem como vice-presidente da Federação.

Além de Erlindo Lidador, já manifestaram o interesse em liderar a FAA, o presidente cessante Bernardo João, Gertudres Sepulveda, António Andrade e Adriano Nunes.