Terça, 01 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Dirigente realça testagem dos atletas


22 Setembro de 2020 | 15h22 - Actualizado em 22 Setembro de 2020 | 15h21

Ilustração da COVID-19 Foto: Divulgação

Huambo - O presidente da Associação de Futsal na província do Huambo, Manuel Alfredo, realçou hoje, terça-feira, a importância da testagem massiva dos atletas, incluindo dirigentes, antes do reinício dos treinos, para evitar a propagação da gripe por novo coronavírus.


De acordo o novo Decreto Presidencial, em vigor desde o passado dia 09, os treinos nas modalidades federadas retomariam no dia 19 deste mês, seis meses depois da interrupção, em Março último, em sede das medidas de prevenção e combate à pandemia Covid-19.

A propósito, Manuel Alfredo referiu, em declarações à imprensa, que a realização de testes em massa servirá para a identificação do maior número possível de casos positivos na comunidade desportiva, sobretudo, naquelas cuja prática exige o contacto directo, a exemplo do futsal.

O responsável associativo orientou, por esta razão, os clubes a observarem as medidas de biossegurança, antes da realização qualquer actividade, como treinos e jogos, para evitar possíveis contágios.

Manuel Alfredo disse que, apesar das dificuldades financeiras que a organização enfrenta, a mesma está a trabalhar com a Comissão Multisectorial Provincial de Prevenção e Combate à Covid-19 para aquisição de testes de despistes desta doença.

Existem nesta província 430 praticantes de futsal, inscritos em 30 equipas federais, sendo 16 de formação e 14 em seniores, quatro dos quais femininas.

Até Julho passado, o Governo angolano gastou 972 mil e 400 dólares norte-americanos na realização de 12 mil e 155 testes aos cidadãos suspeitos de Covid-19, desde o início da testagem no país, no mês de Março. Um teste da Covid -19 custa cerca de AKz 185 mil numa clínica privada.

Dados divulgados, este domingo, pela comissão multi-sectorial local de combate à gripe por novo coronavírus, a província do Huambo, com um total disponível de mil e 500 testes rápidos e três mil por zaragatoa, tem o registo de 35 infectados, sendo 33 activos e dois óbitos.