Quarta, 02 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Karaté: Benguela aposta na formação de instrutores


22 Setembro de 2020 | 09h18 - Actualizado em 22 Setembro de 2020 | 09h18

Praticantes de karaté-dó Foto: Angop

Benguela - A formação e capacitação contínua de instrutores e árbitros é a prioridade do plano de acção da Associação Provincial de Karaté-dó de Benguela, para o quadriénio 2020/24, informou hoje, terça-feira, o seu presidente de direcção, António Telesi.


Segundo o dirigente desportivo, que falava à Angop, a meta é formar pelo menos 15 árbitros e 13 instrutores, de forma a adequar a prática da modalidade às exigências técnicas do órgão reitor. 

António Telesi acrescentou que vai promover a massificação da modalidade, com maior realce para o escalão infanto-juvenil, em ambos os sexos, contando, para o efeito, com alguns apoios locais, que preferiu não especificar.

Desta forma, refere, será possível elevar a prática da modalidade na província de Benguela, em prol não só do desporto, como também da saúde das pessoas.

“Estamos conscientes dos desafios que nos esperam. E depósito total confiança na minha equipa de trabalho”, rematou o novo presidente. 

Com a sua eleição no dia 12 de Setembro 2020, AntónioTelesi põe fim ao longo mandato do mestre José Januário, que liderou o karaté-dó em Benguela durante 32 anos  (1988/2020).

Integram a nova direcção da APK, os vice-presidentes Hermenegildo Tomas e Inácio Tchitongua, o secretário-geral, Tomé malheiro, e a secretária-geral adjunta, Teresa Ngongo.

Com sete árbitros e 11 instrutores, a província controla 13 escolas nas cidades de Benguela, Lobito, Ganda e Cubal, que movimentam mais de 300 praticantes.