Domingo, 17 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

IGEO vai melhorar informação geológica


26 Agosto de 2019 | 14h22 - Actualizado em 26 Agosto de 2019 | 19h34

PCA do IGEO, Canga Xiaquivuila

Foto: Bráulio Pedro



Luanda - Revitalizar a HidroMina no sul do país para prospecção das águas, a fim de mitigar os efeitos da seca nessa região, e melhorar a informação geológica do país para atrair investidores estrangeiros são os principais objectivos do novo Conselho de Administração do Instituto Geológico de Angola (IGEO), empossado hoje (segunda-feira), em Luanda.


Segundo o PCA do IGEO, Canga Xiaquivuila, que falava à imprensa após tomar posse, a aposta na formação dos quadros, para fazer face aos desafios actuais do sector é outro desafio do IGEO, que deverá recorrer a três novos laboratórios, em Luanda, Saurimo e Huila para a realização de análises químicas.

Acrescentou que dentre as prioridades constam também encontros com congéneres internacionais, para elevar o nome da instituição angolana que estava adormecido, bem como a sua participação regular na Organização dos Serviços Geológicos de África, de que Angola poderá ser presidente.

“Vamos também trabalhar na implementação dos memorandos de entendimento com a Alemanha, para prospecção das águas subterrâneas no sul, e a avaliação dos recursos mineiros, com a Rússia para validação da informação geológica, bem como a implementação da cooperação com o Japão para avaliação dos recursos mineiros” - referiu.

Por seu turno, o ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino de Azevedo, que presidiu ao acto, explicou que a nova estrutura do Instituto foi feita não só para cumprir com os estatutos, mas também para dar uma nova dinâmica à instituição, cumprindo as suas tarefas com zelo e dedicação, dado a importância da instituição para o sector.  

“(…) Cabe ao instituto uma tarefa árdua de contribuir para a melhoria desse conhecimento geológico e assim facilitar melhor a actividade ao nível da mineração como outros sectores”, salientou, sublinhando que a economia precisa de um contributo maior do sector geológico.

Diamantino de Azevedo entende que o IGEO deve desenvolver acções que contribuam para o desenvolvimento sócio-económico do país.

O Instituto Geológico de Angola é um organismo público que tem por funções fundamentais a execução e coordenação da cartografia geológica e do estudo dos recursos minerais do país, tendo em conta o carácter e a política mineira estabelecida pelo Governo.