Quarta, 25 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Diversificação da produção constitui imperativo nacional


13 Setembro de 2019 | 16h12 - Actualizado em 13 Setembro de 2019 | 16h09

Luena - O ministro de Estado para a Coordenação Económica, Manuel Nunes Júnior, considerou nesta sexta-feira, no Luena (Moxico), que o aumento da produção e a diversificação da economia nacional são imperativos nacionais para o país desenvolver-se.


Ao discursar na abertura do Fórum da Agricultura Moxico 2019, sob o lema "Desenvolver a agricultura, criar emprego e combater a pobreza", o governante afirmou que o país tem de diminuir a dependência do petróleo, apostando no segmento produtivo não petrolífero, com vista a ter um crescimento sustentado e sólido.

Manuel Nunes Júnior, que integra a delegação do Presidente da República, João Lourenço, em visita de trabalho de dois dias à província do Moxico, sublinhou que numa primeira fase o país deve ser auto-suficiente e deixar de importar alimentos de alto consumo.

Salientou que ao passar a produzir no país o próprio alimento ficará garantido o aumento do emprego em Angola, e por conseguinte o rendimento das famílias, o combate à fome e à pobreza, bem como reduzir a pressão sobre as divisas do país.

Exortou ao engajamento do empresariado nacional e estrangeiro, no aumento da produção interna, garantindo que o Estado vai criar condições para que o investimento privado tenha o maior retorno possível.

O ministro de Estado informou que o programa de estabilização macroeconómica tem resultados positivos nas contas públicas, na diminuição da inflação e normalização gradual do mercado cambial do país.

Adiantou que o programa de privatização em curso visa reforçar o sector empresarial privado, aumentar a eficiência da economia e, sobretudo, aumentar os níveis de emprego no país.

Acredita que a privatização de fazendas, como a de Camaiangala, pode contribuir, em pouco tempo para elevar a produção nacional, aumentar as receitas tributárias e a substituição das importações.

Para o caso da província do Moxico, de acordo com o ministro da Estado, o Executivo vai dar maior atenção a melhoria das estradas, para facilitar o escoamento da produção agrícola, sobretudo a familiar.

Disse que o Governo vai criar condições para que o Moxico volte a ser forte na produção de arroz e outros produtos.

O governante disse esperar do fórum propostas para a melhoria das políticas para alavancar o sector produtivo.