Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Mudanças no sector petrolífero buscam competitividade - ministro


05 Fevereiro de 2020 | 19h42 - Actualizado em 05 Fevereiro de 2020 | 19h42



Luanda - O ministro dos Recursos Minerais e Petróleos, Diamantino Azevedo, afirmou hoje, na Cidade do Cabo, África do Sul, que Angola operou mudanças no sector petrolífero para torna-lo mais eficiente e competitivo no segmento da exploração, produção e distribuição.


Em entrevista ao canal de televisão SABC- South African Broadcasting Corporation, Diamantino Azevedo, que participa na Feira Internacional de Minas “Indaba Mining”, salientou que a estratégia do sector é aumentar a capacidade de produção, refinação e distribuição de petróleo e seus derivados.  

Apesar do país produzir mais de 1,4 milhões de barris de petróleo/dia, o ministro lembrou que Angola importa 80 por cento das suas necessidades em termos de derivados de petróleo, daí ter “lançado mão” a três projectos de construção de refinarias com capacidade de 200 mil, 100 mil e 60 mil barris/dia, nas províncias de Benguela, Cabinda e Zaire.

Além da construção de três novas refinarias, disse estar igualmente em curso a reabilitação e ampliação da Refinaria de Luanda e quando todos estes empreendimentos estiverem a funcionar em pleno Angola será auto-suficiente e poderá exportar o excedente.

Informou que a outra estratégia tem a ver com o aumento da capacidade de armazenamento em terra, porque actualmente a maior parte dos derivados de petróleo é armazenada no mar.

Em relação ao sub-sector mineiro, recordou que o Governo lançou há anos o programa de mapeamento de todo o sector mineiro, plano se encontra na sua fase conclusiva e até final do ano o país poderá anunciar a real capacidade que o país tem em termos mineiro.

Disse trata-se de uma informação muito importante para as empresas que vierem explorar recursos minerais em Angola.

Temos muitos programas de exploração em curso, como o manganês, cobre, ferro e metais básicos.

Informou estar em contacto com as grandes empresas mineiradoras para operar em território angolano.

Em relação ao ferro, o ministro falou do projecto de exploração de ferro das minas de Cassinga, iniciativa bastante avançada que vai desenvolvida em toda sua cadeia de valor, ou seja da exploração a transformação do minério em aço.

Quanto aos diamantes, a par do aumento da produção, disse ser estratégia a expansão das fábricas de lapidação de diamantes nas províncias onde são explorados os diamantes.