Quinta, 21 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Produtos do campo estragam-se por falta de compradores


20 Maio de 2020 | 17h16 - Actualizado em 21 Maio de 2020 | 15h02

Produtos do Campo

Foto: Angop



M'banza Kongo - Agricultores e camponeses do município de Mbanza Kongo, província do Zaire, afirmaram, nesta quarta-feira, que quantidades consideráveis de produtos do campo estão a deteriorar-se em lavras, por falta de compradores.


Abordados pela ANGOP, agricultores afirmaram que, desde a implementação do Estado de Emergência no país, em Março, os produtos do campo “perderam o mercado” no município-sede, devido a uma limitação na circulação de pessoas e veículos automóveis.  

Amílcar José, produtor de abacaxi, disse estar apreensivo com a deterioração da sua produção feita num espaço de cerca de dois hectares, por falta de compradores.

“Já não temos compradores. Todo o mundo agora tem medo de ir às zonas de produção devido à Covid-19. Estamos diante de uma situação insustentável”, referiu.

Segundo o produtor, o pouco que consegue transportar só serve para o consumo da família, afirmando que a Covid-19 pode comprometer as previsões de colheita de produtos.

Já a camponesa Suzana Maria disse que, antes, os detentores de meios de transporte se deslocavam até às lavras para a compra de produtos em grandes quantidades.

“Tenho quantidades enormes de milho seco e outros produtos guardados na lavra. Não tenho como escoar para o mercado, por falta de transporte”, exprimiu.

De acordo com a interlocutora, se a situação prevalecer por mais tempo, poderá indiciar uma penúria alimentar para a população que sobrevive do campo.

O município de M'banza Kongo é potencialmente agrícola, sendo a mandioca, banana, jinguba, gergelim, milho, feijão, abacaxi, citrinos e batata-doce os produtos mais cultivados.