Quarta, 02 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

AVIPAL reduz produção diária de ovos


17 Julho de 2020 | 19h47 - Actualizado em 17 Julho de 2020 | 20h09

Cuito - A empresa Avipal, no município do Cuito, província do Bié, reduziu a produção diária de 23 mil ovos para 18 mil, nos últimos três meses, em função da falta de matéria-prima.


Em 2019 aquela empresa já havia atingido uma produção diária de 28 mil ovos/dia, mas foi reduzida, naquele mesmo ano.

Em 2018, produziu um total 532 mil, enquanto em 2019 a produção global caiu para 522 mil, devido à chegada tardia do estrangeiro (Bélgica) de 18 mil galinhas poedeiras, com mais de 100 semanas de vida.

A informação foi prestada à Angop pelo empresário António Chivinda, após a visita do governador local, Pereira Alfredo. Chivinda sublinhou que o acesso à importação da matéria-prima constitui um dos maiores constrangimentos actuais da empresa, sobretudo de multivitaminas, soja e farinha de peixe, entre outros.

António Chivinda avançou que para mitigar a situação a empresa necessita de, pelo menos, mais de cem milhões de kwanzas e 80 mil euros, para importação de pintos/galinhas.

Apesar disso, augurou existir uma nave de mais de 18 mil aves, que quando atingirem a idade limite poderão elevar a fasquia dos 18 mil ovos dia, num total de 35 mil animais que a fazenda controla.

Por outro lado, considera haver uma procura maior não só de consumidores locais, mas também de Luanda, Namibe, Huíla, Benguela e Huambo, sem no entanto existir capacidades ínfimas actuais.

A fazenda Avipal conta com 35 trabalhadores efectivos.

O produto é comercializado geralmente nas províncias do Bié, Huambo e Huila.

A província do Bié, em 2018, encerrou seis aviários avícolas por motivos diversos.