Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Angola participa na 27ª reunião do Comité de Informação sobre Biodiversidade


23 Outubro de 2020 | 20h40 - Actualizado em 23 Outubro de 2020 | 20h40

Luanda - O estabelecimento de novas parcerias para a disseminação de dados sobre a biodiversidade e a mobilização de recursos financeiros constituem alguns dos principais assuntos abordados na 27ª reunião do Comité de Gestão do Sistema Global de Informação sobre Biodiversidade (GBIF, em Inglês), que contou com a participação de Angola.


Segundo uma nota de imprensa, o fórum realizado por vídeo-conferência, de 20 a 22 de Outubro, apreciou também a estratégia dos GBIF para a mobilização de dados, bem como o programa para 2021 e o reforço dos nós nacionais de diferentes países.

Integraram a delegação de Angola, o secretário de Estado para a Ciência, Tecnologia e Inovação, Domingos da Silva Neto (Chefe de Delegação), a secretária de Estado para as Pescas, Esperança da Costa (em representação do Nó Nacional do GBIF) e os técnicos Domingos Francisco do Centro de Botânica da Universidade Agostinho Neto e Elizene Serôdio do Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia.

Na ocasião, a delegação angolana referiu que para o ano 2020 tinha sido projectado um bom plano estratégico que incluía a identificação de instituições produtoras de dados de biodiversidade, o reforço de capacidades, a implementação do Nó Nacional, bem como a preparação de uma proposta de política de dados para gestão de dados científicos, incluindo os relacionados com a biodiversidade.

A delegação angolana considerou que à excepção do estabelecimento dos produtores de dados de biodiversidade, muitas coisas ficaram por se fazer neste ano da covid-19.

O documento refere que há necessidade de, em estreita cooperação com o secretariado do GBIF e do seu Gabinete Regional Africano, se encontrar a melhor forma de se pôr em prática algumas acções ou actividades adiadas, especialmente às relacionadas com a capacitação das instituições angolanas, para que elas próprias pudessem começar a publicar os dados e informações recolhidos.

A nota sublinha a “ implementação efectiva do Nó Nacional e para estabelecer uma verdadeira rede nacional, uma vez que tem cinco anos como Participante Associado".

Participaram da reunião 122 responsáveis 57países e cerca de 30 organizações internacionais, destacando-se a África do Sul, Argentina, Brasil, Austrália, Bélgica, Benin, Canadá, China, Dinamarca, Estados Unidos da América, Japão, Espanha, Holanda, Noruega, Portugal, Suécia, Madagáscar, França, Nigéria, Mauritânia, Togo, República Democrática do Congo e República da Coreia, Mauritâniae Timor Leste.

Nesta reunião, Angola, que está no comité de gestão deste órgão desde a 26ª reunião, aproveitou reforçar os laços com os países de expressão portuguesa, bem como com o coordenador da Região de África e ainda com a Espanha.