Quinta, 26 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Mais de 900 mil alevinos aguardam por compradores em Cambambe


21 Outubro de 2020 | 15h01 - Actualizado em 21 Outubro de 2020 | 15h01

Dondo - Pelo menos 900 mil alevinos da tilapia produzidas pelo Centro de Larvicultura do Mucoso, aguardam por compradores no município de Cambambe, província do Cuanza Norte, informou hoje, quarta-feira, o responsável da instituição, António Pedro Escórcio.


O centro, situado na comuna de Massangano, conta com uma capacidade anual de produção de dois milhões de alevinos e 350 mil/ toneladas de peixe tilápia (cacusso).

Em declarações à Angop, António Escórcio salientou que a produção em causa é referente aos meses de Março a Agosto deste ano.

Sublinhou que ao longo desta semana o centro vai colher mais 300 mil larvas em fase de crescimento e que estarão prontos para a venda dentro de 25 dias.

 A situação deve-se as limitações impostas pela pandemia do novo coronavírus.

 Disse que a empresa regista, desde Março deste anos, melhorias significativas no domínio da aquisição de ração para a alimentação do cardume, que consome em média 250 quilogramas/ dia, facto que está a contribuir para o aumento da produção de alevinos.

Actualmente, o centro está com uma produção mensal estimada em 300 mil larvas, mais 100 mil /mês, comparativamente ao período anterior a Março.

Caso se mantenha a situação da falta de compradores, frisou, vai dificultar a manutenção dos actuais níveis de produção e comprometer as metas preconizadas para este ano.

A empresa perspectiva produzir dois milhões de alevinos este ano.

O gestor apelou os piscicultores nacionais, no sentido de aproveitarem as valência do centro, visando potenciar a cadeia produtiva do peixe da água doce, sobretudo da espécie cacusso.

O empreendimento, inaugurado em 2015, é um projecto implementado pelo Ministério da Agricultura e Pescas no âmbito do programa de fomento da aquicultura (criação de peixes em reservatórios) e tem como principal objectivo a produção intensiva de alevinos para o fomento da piscicultura no país.

Sob gestão da Gesterra, o centro tem ainda como actividades a produção de peixe adulto para engorda e de spirulina.

Vinte e um funcionários asseguram o funcionamento da unidade de produção de alevinos.

A construção da infra-estrutura, que ocupa uma área de 10 hectares, custou 14 milhões de dólares americanos aos cofres do Estado.

O centro possui 27 tanques, sendo 18 de engorda com a capacidade para 450 metros cúbicos cada e nove de criação de igual capacidade.

O empreendimento equipado com tecnologia de ponta, possui ainda, entre outras dependências, áreas administrativas, laboratório, de reprodução de larvas, aluminagem, reversão sexual e de conservação de cardumes em fase de adaptação.

Uma unidade de tratamento de águas residuais e residência para quadros fazem igualmente parte do projecto, que produz alevinos para serem distribuídos às diversas cooperativas de piscicultura das províncias de Luanda, Huambo, Malanje e Bengo, para o fomento da actividade no país.