Terça, 24 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Ministros zambianos avaliam Corredor do Lobito


23 Outubro de 2020 | 20h47 - Actualizado em 23 Outubro de 2020 | 20h47

Lobito - Os ministros zambianos dos Transportes e da Habitação e Desenvolvimento de Infra-estruturas, Lole Kafwaya e Vicente Mwala, avaliaram, nesta sexta-feira, o grau de operacionalidade do Caminho de Ferro de Benguela (CFB) e do Porto do Lobito.


Durante as visitas, os dois governantes receberam informações sobre o funcionamento das instituições, que fazem parte do Corredor do Lobito, com destaque os dados relativos aos volumes de mercadorias movimentadas mos últimos meses.

O Corredor do Lobito começa no Porto do Lobito, atravessa o território angolano em direcção ao Leste e cruza as regiões mineiras da República Democrática do Congo, na província de Katanga, e a chamada cintura do cobre na Zâmbia.

O Corredor favorece os negócios das grandes e das pequenas empresas. A ligação ferroviária permite, por exemplo, o transporte rápido do enxofre do Porto de Lobito para a República Democrática do Congo. E há potencial para servir outros mercados do sul do continente africano.

O Porto e o CFB estão intrinsecamente ligados na transportação de mercadorias por via do caminho-de-ferro e do mar, para países europeus e asiáticos, com destaque nos últimos tempos para a China.

No final da visita, o ministro zambiano dos Transportes, Lole Kafwaya, manifestou-se impressionado e assegurou o relançamento das relações comerciais e culturais já existentes entre os dois povos, que acredita, trazerem desenvolvimento para a região.

Para Lole Kafwaya, a visita ao Lobito foi uma mais-valia, na medida em que sai de Angola com a percepção das potencialidades do Corredor do Lobito.