Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Cooperativa investe Akz três milhões na produção de óleo de palma


31 Outubro de 2020 | 12h56 - Actualizado em 31 Outubro de 2020 | 12h54

Caxito - Um projecto de plantação de três mil pés de palmeiras para a produção de óleo de palma, avaliado em cerca de três milhões de kwanzas, será implementado este ano pela cooperativa Sanga da aldeia Mutenda na comuna do Úcuna, província do Bengo, numa área de cinco mil hectares.


As palmeiras foram adquiridas na província de Cabinda (norte de Angola) ao preço de 1000 kwanzas cada e têm um ciclo de crescimento e de produção  de três a quatro anos.

Deste projecto consta também a criação de pequenas indústrias para a transformação da produção local, com destaque para fábricas de óleo de palma, fuba de milho e de bombo.

Neste momento está também em prospecção na cooperativa uma área onde será  desenvolvida a produção do cacau, informou o director executivo da cooperativa, Damião Abel dos Santos.

Numa área de 20 hectares, está a ser produzida banana, mandioca, batata-doce, laranja, maracujá, abacaxi, limão, inhame, mamão, múcua, carvão, feijão e milho.

No âmbito do Programa de Apoio à Produção, Diversificação das Exportações e Substituição das Importações (Prodesi), a cooperativa aguarda por um financiamento de cerca de 50 milhões de kwanzas para aquisição de um novo tractor com respectivas alfaias  e sistemas de irrigação.

A cooperativa, que figura no grupo das seleccionadas para o crédito do Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), está constituída por dez fazendas e já investiu sete milhões de kwanzas (fundos próprios).

A degradação da via de acesso às lavras para facilitar a circulação e o escoamento da produção continua a ser uma das principais dificuldades.

Por isso, para facilitar os camponeses, o escoamento dos produtos é feito no rio Zenza, através de canoas artesanais, fazendo a travessia junto da albufeira da Quiminha, para o município do Icolo e Bengo, província de Luanda.

Criada 2019, a cooperativa  perspectiva a construção de um posto de saúde e uma escola com duas salas de aula com capacidade para albergar 140 alunos em dois turnos.

A cooperativa agro-pecuária “Sanga da aldeia da Mutenda” já criou 30 postos de trabalho.