Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Governo da Lunda Sul entrega memorando de acções à Endiama


27 Outubro de 2020 | 18h37 - Actualizado em 27 Outubro de 2020 | 18h36

Daniel Felix, Governador da Lunda Sul Foto: Francisco Miúdo

Saurimo - O governo da Lunda Sul e a sociedade civil entregaram nesta terça-feira um memorando de acções a serem desenvolvidas pela Endiama E.P, em prol do desenvolvimento multissectorial da região, bem como da empregabilidade dos jovens locais nas empresas mineiras.


O acto de entrega aconteceu durante um encontro entre o governo local, a sociedade civil e responsáveis da Endiama, cujo objectivo apontou para que as empresas mineiras sedeadas na Lunda Sul cumpram com as responsabilidades sociais, na execução de projectos nos sectores das águas, saúde, energia eléctrica, formação superior, bem como a construção do pólo universitário, estancamento de ravinas e vias de acesso.

O memorando recomenda as empresas mineiras no sentido de ajudarem o governo na criação de um fundo de gestão, apoiar projectos agrícolas das famílias residentes nas proximidades das minas, bem como a construção de um museu regional do mineiro.

Recomenda ainda a Fundação Brilhante e a Endiama Mining a criem as suas sedes na Lunda Sul, de modo a prestar mais apoios e serviços à população local.

Na ocasião, o Presidente do Conselho de Administração da Endiama, Ganga Júnior, reconheceu que a região Leste do país vive momentos difíceis de desenvolvimento,  afirmando que a instituição vai melhorar os programas socioeconómicos das comunidades, com o apoio das empresas de exploração diamantífera, com destaque para a implementação de um projecto agrícola, que contará com o apoio do Ministério da Agricultura.

Fez saber que, no próximo ano, vai entrar em funcionamento o projecto Luaxe, que permitirá numa primeira fase empregar 700 jovens da região.

Ganga Júnior salientou que o pólo diamantífero, em construção na Lunda Sul, contará com um centro de formação profissional, com capacidade de albergar 300 alunos, que vai ministrar os cursos de geociências, mecânica industrial e electricidade.

Explicou que os jovens formados no centro serão recrutados para trabalhar nos projectos mineiros e servirão ainda de transmissores de conhecimentos a outros jovens, evitando deste modo que haja muita mão-de-obra expatriada.

Por sua vez, o governador da Lunda Sul, Daniel Neto, defendeu a necessidade do diálogo entre o governo, a sociedade civil e a Endiama, salientando que urge a necessidade de se redefinir os projectos para a execução em prol do desenvolvimento da região.

Testemunharam o acto membros da sociedade civil, do governo local, autoridades tradicionais, eclesiásticas, administradores executivos da Endiama e distintos responsáveis da Catoca.