Domingo, 24 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Governo reafirma aposta no processo de alfabetização


06 Setembro de 2019 | 16h40 - Actualizado em 09 Setembro de 2019 | 08h39

Luanda - O Executivo Angolano continua a criar condições de ensino para acolher as famílias, sobretudo mulheres, que ainda mostram interesse em aprender a ler e escrever, como forma de se combater o analfabetismo na sociedade, afirmou, nesta sexta-feira, em Moçamedes, o delegado provincial da Justiça no Namibe, Wilson Vilengalenga.


De acordo com o responsável, que falava no acto comemorativo do 8 de Setembro, Dia Internacional da Alfabetização, torna-se imperioso a criação de políticas estruturantes, concretas e efectivas, pois só assim e poderá inaugurar uma sociedade próspera e sã, visando garantir a melhoria da qualidade de vida das pessoas.

Na província do Namibe, no ano em curso , foram disponibilizados  350 alfabetizadores que estão a dar seguimento ao programa e  garantir a funcionalidade dos serviços de alfabetização e aceleração escolar nas metodologias  “ gostar de ler e escrever”   e “ sim eu posso” .

No total estão matriculados 12 mil 793 alunos, dos quais 6 mil 718 do sexo femininos.

Já na província do Bié cinco mil novos professores são necessários para dar cobertura ao Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar.

A província conta actualmente com 380 professores para 240.936 pessoas (mulheres e homens) matriculados.

Por seu turno, na Lunda Sul estão matriculados 29.035 alunos de ambos os sexos, no âmbito do programa “Sim eu Posso e Gostar de Ler e Escrever”.

Deste número, 15 mil 901 foram inscritos no método módulo-1, sete mil 718 no módulo-2, cinco mil 416 no módulo-3 e 26 mil 72 foram matriculados no método “Gostar de Ler e Escrever”.

O projecto conta com 387 salas de aulas que são assegurados por igual número de alfabetizadores.

No Cuanza Sul, o coordenador provincial do programa de alfabetização e aceleração escolar, João Roque, revelou que estão inscritos 69.098 indivíduos, sendo 40.326 adultos no módulo I, 2.161 jovens no módulo I, 10.405 no módulo II e 16.206 no módulo III com 661 professores e 632 alfabetizadores. 

Relativamente aos subsídios para 532 alfabetizadores, o responsável assegurou que estão já disponíveis nas contas do Gabinete Provincial da Educação 26 milhões 600 mil Kwanzas  para o pagamento de cinco meses do ano 2016 e aguardam a canalização dos valores financeiros de 2018 e 2019 para 632 alfabetizadores.

O processo de alfabetização é realizado duas vezes por ano no período de Fevereiro a Junho e a segunda de Junho a Outubro. Na primeira fase foram alfabetizados 12.559 indivíduos.

Já no Moxico, um desentendimento entre os alfabetizadores e o Gabinete Provincial da Educação do Moxico impede o pagamento dos subsídios em atraso de 941 trabalhadores do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE).

Para exigir a liquidação dos referidos subsídios (dívida acumulada de dois meses de 2015 e quatro meses de 2016), os alfabetizadores realizaram hoje uma manifestação defronte ao Gabinete Provincial da Educação.

Sobre o assunto, o director do Gabinete Provincial da Educação, Raimundo Ricardo, confirmou a existência de um montante no valor de 307 milhões 460 mil Kuanzas disponibilizados pelo MED para o pagamento de subsídios em atraso.

O MED começou a liquidar a dívida com os alfabetizadores contratados em Dezembro de 2018, tendo pago apenas quatro meses do ano de 2015.

Enquanto na província do Zaire 300 alfabetizadores estão desde 2015 sem receber os respectivos subsídios mensais no valor de 10 mil Kwanzas cada.

O subsistema de ensino de adultos no Zaire controla aibda 17 facilitadores contratados e 13 voluntários. Um total de 169 centros de alfabetização estão disponíveis nos seis municípios.

No Zaire foram alfabetizados, de Fevereiro a Junho deste ano, cinco mil e 889 adultos no módulo “Sim Eu Posso e Gosto Ler e Escrever”. 

Enqanto na província da Huíla, o governo tem um dívida de 252 milhões e 400 mil kwanzas, desde Julho de 2015, com os 875 alfabetizadores.

O coordenador provincial do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE), Nito Sachipunga, informou que actualmente prestam serviço  1.129 de alfabetizadors.