Quinta, 21 de Janeiro de 2021
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Ministra quer rigor nos cursos de saúde e engenharia


16 Janeiro de 2020 | 01h57 - Actualizado em 16 Janeiro de 2020 | 13h09

Maria do Rosário Bragança Sambo, ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação (Arquivo)

Foto: Rosario dos Santos



Malanje - A ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Sambo, defendeu nessa quarta-feira a necessidade de as instituições privadas do ensino superior primarem pelo rigor e qualidade nos cursos de ciências da saúde e engenharias, para melhor qualificação dos estudantes.


Em declarações à imprensa, no fim de uma visita de constatação efectuada às instituições afectas ao sector que dirige em Malanje, Maria do Rosário Sambo referiu ser necessário que as instituições privadas no país criem condições infra-estruturais condignas para a acomodação dos estudantes e exijam rigor e qualidade de ensino do corpo docente.

Afirmou que o seu Ministério vai, a partir deste ano, fazer um controlo que permitirá melhorar a formação dos cursos de ciência da saúde e engenharia, bem como implantará o sistema de avaliação nas instituições públicas e privadas de ensino superior.

Maria do Rosário Sambo advertiu que serão encerrados cursos ilegais em instituições privadas de ensino superior, caso as mesmas não criem condições para a sua autenticidade.

Informou que, desde 2017, o Ministério legitimou 18 instituições privadas de ensino superior, assim como legalizou 104 cursos, dos 148 ilegais.

Por outro lado, a ministra mostrou-se inquietada pela falta de condições necessárias para a docência no domínio prático, nos institutos privados de Malanje.

Anunciou, para Abril deste ano, a inauguração do Instituto Superior de Tecnologia Agro-Alimentar de Malanje (ISTAM), erguido no bairro da Cangambo, cujo mesmo já se encontra apetrechado, faltando apenas algum equipamento dos laboratórios.

A visita à província de Malanje visou inteirar-se do nível de preparação das instituições de ensino superior locais para o ano académico 2020, bem como auscultar as principais preocupações do sector.