Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Acordos potenciam formação de professores


13 Março de 2020 | 17h58 - Actualizado em 16 Março de 2020 | 14h45

Luanda - Três acordos de cooperação, no domínio da formação de professores para o ensino técnico-profissional, foram rubricados, nesta sexta-feira (13), em Luanda.


Os acordos foram assinados pelo Camões-Instituto da Cooperação e da Língua, pela Universidade Agostinho Neto, pela Universidade José Eduardo dos Santos e pelo Instituto Nacional de Gestão de Bolsas de Estudo (INAGBE).

Os protocolos visam beneficiar com bolsas de estudo 430 estudantes de 11 cursos, nas mais diversas áreas das engenharias, de acordo com o coordenador do projecto Revitalização do Ensino Técnico e da Formação Profissional de Angola (RETFOP), Alexandre Rosa.

Financiados pela União Europeia, com um valor de  AKZ 1.200 milhões, serão repartidos aos institutos Superiores de Ciências da Educação (ISCED) de Luanda e do Huambo, bem como para o pagamento de bolsas de estudo. 

Conforme a ministra do Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança Sambo, que procedeu à homologação dos acordos, esta acção manifesta a aposta no desenvolvimento do capital humano e na formação de quadros.

O Programa Nacional de Desenvolvimento 2018/2022 preconiza, entre outras acções, a formação e gestão do pessoal docente.

O Governo prevê criar,  até 2022, 17 novos cursos que permitam a formação de professores, especificamente no ensino superior, com nova dinâmica.

Segundo a titular do pelouro, há necessidade não só de formar professores em áreas técnicas, mas também de fazer que os estudantes criem as suas bases para o emprego.

Com essas acções, avançou, o Governo está a cumprir o desiderato de, paulatinamente, inverter o quadro de oferta formativa no país, caracterizado por excesso de cursos nas áreas de administração e direito, em prejuízo para as áreas técnicas, com grande relevância para o desenvolvimento do país.

Às instituições de ensino superior que rubricaram os acordos solicitou controlo e rigor, a fim de que, no final, a avaliação seja positiva e a experiência replicada pelo país.  

Encorajou os estudantes beneficiários para se empenharem no processo formativo, tendo em conta que o não-aproveitamento implicará a perda da bolsa de estudos.

Os cursos de formação de professores para o ensino técnico-profissional conferem o grau de Bacharel e têm duração de três anos na Faculdade de Engenharia da Universidade Agostinho Neto e na de Ciências Agrárias da Universidade José Eduardo dos Santos.