Quarta, 02 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Une-Angola exige reforço das medidas de biossegurança


22 Junho de 2020 | 16h34 - Actualizado em 22 Junho de 2020 | 16h31

Interior da sala de aula de uma das escola de Malanje, província que prepara o reinício das aulas Foto: Clemente dos Santos

Malanje - O reforço das medidas de biossegurança nas instituições de ensino superior em Malanje, sobretudo de pontos de higienização, é a principal exigência da União dos Estudantes Angolanos (UNE-Angola), visando garantir segurança no retorno às aulas.


A inquietação foi manifestada hoje (segunda-feira), nesta cidade, pelo presidente da referida organização a nível da Província de Malanje, Felício Buila, no final de uma visita de constatação das condições de higienização nas instituições públicas e privadas de ensino superior na província.

Segundo o responsável, é importante que os estabelecimentos de ensino superior criem as condições de higiene necessárias, de modo a evitar a exposição de alunos à possíveis contágios da Covid-19, com a reabertura do ano lectivo 2020, a partir do dia 13 de Julho.

Por outro lado, enalteceu o trabalho realizado pelas respectivas escolas, em cumprimento aos pressupostos exigidos para a retomada das aulas, mas apelou o governo provincial a apoiar todas as iniciativas, sobretudo na distribuição ininterrupta de água para a lavagem regular das mãos.

Entretanto, o director-geral do ISTAM (Instituto Superior de Tecnologia Agro-alimentar de Malanje), Guilherme Pereira, disse estarem criadas as condições de distanciamento nas salas de aula, que deverão albergar entre 18 a 32 estudantes cada, correspondendo a 50 por cento da sua capacidade de lotação.

“Nos próximos dias serão instalados pontos de higienização em todas as áreas de acesso ao interior da instituição, para se evitar aglomeração de estudantes à entrada”, adiantou.

Por sua vez, o coordenador da Comissão para Controlo e Combate à covid-19 no ISPM (Instituto Superior Politécnico de Malanje), Mateus Gonçalves, disse estar já instalado um ponto de triagem para medição de temperatura aos estudantes e docentes, a par dos pontos de lavagem das mãos, estando para breve a instalação de áreas de desinfestação de calçados.