Sexta, 27 de Novembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

APA aprova adiamento das aulas no ensino primário


23 Outubro de 2020 | 21h30 - Actualizado em 23 Outubro de 2020 | 21h29

adiado retorno das aulas no ensino primário Foto: Rosário dos Santos

Luanda - A Associação dos Professores Angolanos (APA) manifestou, nesta sexta-feira, concordância com o adiamento das aulas no ensino primário.


Conforme o presidente da organização, Inácio Gonga, que falava à TPA, trata-se de uma medida acertada por parte do Executivo.

O retorno às aulas dos alunos do ensino primário (da 1.ª à 5.ª classe), que inclui a maior franja do sistema de ensino, estava previsto para o dia 26 deste mês.

No âmbito deste cronograma, elaborado pelo Governo, as aulas recomeçaram a 05 de Outubro, nas classes de transição (6.ª, 9.ª, 12.ª e 13.ª classes).

Nesta mesma data, no cumprimento da estratégia de regresso gradual, recomeçaram as aulas em todo o sistema universitário do país.

Já o retorno às aulas dos alunos da 7ª, 8ª, 10ª e 11ª classes do I e II ciclo do ensino secundário aconteceu na passada segunda-feira, 19.

Nesta nova fase, as turmas devem ser divididas em grupos de até 20 alunos. No ensino primário e I ciclo, as aulas têm a duração de 02h30, ao passo que no II ciclo do ensino secundário será de  03h30. Neste formato, não haverá intervalos.

Inácio Gonga afirma que a medida do Governo tem como objectivo preservar, em primeiro lugar, o bem comum: a vida humana.

O responsável avançou que, apesar do esforço do Executivo para dotar às escolas de condições de trabalho e de biossegurança para o reinício das aulas neste subsistema de ensino, fruto do aumento de casos de Covid-19 no país não há, objectivamente, condições para o efeito.

“Era melindroso o reinício das aulas neste subsistema de ensino. As crianças, por mais cumpridoras que sejam, não conseguem evitar o contacto físico sem um controlo rigoroso”, disse.

Apela aos agentes educativos (pais, encarregados de educação, actores políticos) a contribuírem com ideias para um retorno das aulas de forma segura, sem colocar em causa a saúde das crianças e professores.