Quinta, 03 de Dezembro de 2020
    |  Fale connosco  |   Assinante    
 

Covid-19: Reafirmada melhoria das condições de biossegurança


19 Outubro de 2020 | 22h27 - Actualizado em 20 Outubro de 2020 | 12h21

Secretário de Estado para a Educação Pré-escolar e Ensino Primário, Pacheco Francisco Foto: António Escrivão

Huambo - O secretário de Estado para a Educação Pré-escolar e Ensino Primário, Pacheco Francisco, reafirmou hoje, segunda-feira, no Huambo, o compromisso do Governo em tudo fazer para continuar a melhorar as condições de biossegurança nas escolas, para evitar contágios por Covid-19.


Em declarações à imprensa, após três dias de trabalho na província do Huambo, o responsável referiu que o Ministério da Educação (MED) está a fazer de tudo para que o reinício do processo de ensino/aprendizagem, reaberto no passado dia 5, não comprometa a saúde e o bem-estar dos alunos e dos professores.

Para o efeito, Pacheco Francisco informou que as administrações municipais foram orientadas a adquirir, por via dos orçamentos destinados à merenda escolar, equipamentos de biossegurança, no sentido de evitar infecções com o Covid-19.  

O responsável precisou que, em caso de haver o registo de infecções numa das escolas, não será necessário encerrá-la, como aconteceu com a Escola Portuguesa em Luanda (capital do país), mas apenas deve-se isolar o aluno e a turma.

De seguida, apontou, realizam-se testes para avaliar a situação epidemiológica dos colegas do infectado.

Nesta conformidade, o secretário de Estado apelou aos pais e encarregados de educação para aconselharem os filhos sobre as medidas de prevenção e combate à Covid-19, por não ser da responsabilidade exclusiva das autoridades governamentais.

Rematou que todas as medidas de biossegurança estão a ser criadas, devendo consistir, sobretudo, no reforço da colaboração entre as instituições de ensino e as autoridades sanitárias, com o rastreio pontual e isolamento dos casos suspeitos.

Em três dias de trabalho nesta região do Planalto Central de Angola, o secretário de Estado para a Educação Pré-escolar e Ensino Primário constatou “in loco” as condições de biossegurança das escolas do ensino primário ao II ciclo do ensino secundário dos 11 municípios da província do Huambo.

As aulas retomaram sob fortes medidas de biossegurança, de forma faseada, para evitar, no máximo, casos de contágio com o novo coronavírus.

No passo dia 5, entraram em cena os estudantes universitários e os alunos da 6.ª, 9.ª, 12.ª e 13.ª classes, que estão a cumprir, rigorosamente, as medidas impostas pelas autoridades sanitárias do país.

De acordo com o calendário, hoje (19), reiniciariam os alunos da 7.ª, 8.ª, 10.ª e 11.ª classe, ao passo que no ensino primário  começam no dia 26 de Outubro.

Actualmente, a província do Huambo conta com mil e 226 escolas, da iniciação ao II ciclo do ensino secundário, que albergam 882 mil e 133 alunos, leccionados por mais de 14 mil e 841 professores.